Basquete: crise tem reflexo no Vasco

Os jogadores evitam atribuir à crise do clube as duas derrotas consecutivas do Vasco no Campeonato Nacional Masculino de Basquete, primeiro para o frágil Fluminense, e depois, no último domingo, para o Tilibra/Copimax/Bauru. Mas fica evidente que o grupo sente as mudanças que a equipe sofreu por causa dos salários atrasados ? o clube pagou apenas um dos cinco meses que deve aos jogadores do basquete. Fica claro que a crise está influindo negativamente no desempenho do time. O armador-ala Demétrius, que não viajou com o time para a série de jogos fora de casa por causa de um tratamento na coluna, espera que a situação "seja clareada" no sábado, quando os jogadores, de todos os esportes olímpicos do clube, terão um encontro com o presidente do Vasco, Eurico Miranda. Mas a explicação das derrotas inesperadas, tanto por parte do técnico Hélio Rubens Garcia, quanto do jogador Demétrius comprova a tese de que a produtividade está sendo afetada pela crise. "Ficamos sem o Vargas e o Charles Byrd. Também estou fora por causa de um problema de hérnia de disco e o grupo terá de se acostumar a jogar assim, sem algumas das peças que eram as principais", disse Demétrius. "Estamos jogando muito desfalcados e isso tem afetado o lado emocional da equipe. Infelizmente temos de nos readaptar a essa nova realidade e isso requer tempo", observou Hélio Rubens. O dominicano Vargas deixou o Vasco por causa do atraso de salários e o norte-americano Byrd, que primeiro anunciou a intenção de deixar a equipe, mas depois voltou atrás, viajou para os Estados Unidos e não retornou. A justificativa para a ausência parece desculpa esfarrapada. O clube informou que ele "não retornou dos Estados Unidos porque sua mãe está doente". Por incrível que pareça, o jogo contra o Leitor/Casa Branca, um time de ?moleques?, montado com um orçamento de R$ 25 mil por mês, passa a ser uma nova ameaça para o que era, no início da temporada, o supertime do Vasco. As equipes jogam nesta terça-feira, às 20 horas, em Casa Branca, pela décima-primeira rodada do Nacional. "Um adversário dificílimo", disse Demétrius. Observou que Casa Branca venceu a maioria ? quatro em cinco jogos ? em casa. Completam a rodada, também às 20 horas, Londrina/Sercomtel x Marathon/Franca, no Ginásio Moringão e Bauru x Sogipa, no panela de Pressão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.