Basquete de Uberlândia imita o futebol

O time não vai bem? Demite o técnico. O ?mal exemplo? do futebol chegou ao basquete, pelo menos se depender dos donos da rede de universidades que patrocina a Unit/Uberlândia e o Universo/Ajax, de Goiás. A nova vítima dos irmãos Welington, Walace e Jeferson Salgado de Oliveira, os ?donos? dos times, foi o técnico Carlos Alberto Rodrigues, o Carlão, assistente-técnico de Ary Vidal na seleção brasileira que foi quinta colocada nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996.O técnico Carioquinha foi demitido em pleno playoff semifinal do Campeonato Nacional, no ano passado, pela mesma Unit/Uberlândia. Nesse ano, a universidade já havia demitido o técnico José Roberto Lux, o Zé Boquinha, do Universo/Ajax, de Goiás, algumas rodadas após o início da competição. Agora, será a vez de Miguel Ângelo da Luz, que foi o técnico da seleção feminina na Olimpíada de Atlanta, assumir o comando do time de Uberlândia no lugar de Carlos Alberto Rodrigues.O supervisor da equipe, Fernando Larraude, disse que os proprietários do time "acompanham de perto os jogos e estão sempre no ginásio". Observou que eles não "estavam gostando do trabalho do Carlão e que, de um momento para o outro, decidiram demiti-lo". A decisão já estava tomada antes mesmo da partida da 15ª rodada do turno, em que a Uberlândia venceu a equipe co-irmã de Goiás por 92 a 86. O treinador foi avisado após o jogo.O mais curioso é o fato de Uberlândia estar entre os seis primeiros colocados, com dez vitórias e quatro derrotas, e a mesma campanha de Vasco, Botafogo, Marathon/Franca, Flamengo e COC/Ribeirão, mesmo com três jogadores machucados - Everaldo, Ricardo e Savoy.O ex-treinador Ary Vidal, coordenador do projeto de esportes da universidade, não participou no processo de saída do técnico.Feminino - A segunda rodada do returno do Nacional será encerrada neste sábado, com Santo André e Paraná, às 18 horas, no Ginásio Pedro Del?Antônia (com SporTV). O Paraná pagou os dois meses de salários atrasados, segundo disse o supervisor Hélio Vendramini.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.