Basquete: seleção vai reencontrar torcida

Aprimorar os rebotes e o bloqueio da seleção brasileira masculina de basquete é o principal objetivo do técnico Aluísio Ferreira, o Lula, durante o amistoso de sexta-feira, contra o Uruguai, no ginásio do Tijuca, zona norte do Rio. O treinador destacou, no entanto, que o "reencontro" da seleção com os torcedores será de fundamental importância para que os jogadores sintam o "peso" de suas responsabilidades dentro da equipe, antes da estréia no Pré-Olímpico de Porto Rico, dia 20, contra os Estados Unidos. Lula explicou que a defesa da seleção tem falhado nos rebotes e isso precisa ser corrigido. Outro ponto a ser observado, este no ataque, é quanto ao bloqueio dos jogadores adversários. Durante os três primeiros dias de treinos no Rio, onde a delegação fica concentrada até domingo, quando embarcam para Porto Rico, o técnico insistiu em treinar estes dois tipos de fundamento. Sobre os uruguaios, Lula observou que sob o comando do técnico Nestor Garcia o time já demonstrou uma evolução. Chegou, inclusive, a dificultar a vitória brasileira durante os Jogos Sul-Americanos de Montevidéu, onde a seleção foi campeã. Na ocasião, o Brasil venceu por uma diferença de apenas quatro pontos: 75 a 71. "O Uruguai apresentou uma nova configuração tática no Sul-Americano. Além do mais, eles também vão ao Pré-Olímpico e esse amistoso vai nos dar ritmo de jogo", considerou Lula, que no domingo voltará a enfrentar os uruguaios. "Precisamos, por exemplo, tomar cuidado com o Muro (Alejandro) que arremessa bem e o Silveira que tem muita garra." Na competição porto-riquenha, três vagas para os Jogos de Atenas estarão em disputa e dez equipes foram distribuídas por dois grupos (Grupo A - Argentina, Canadá, México, Porto Rico e Uruguai. Grupo B - Brasil, Estados Unidos, Ilhas Virgens, República Dominicana e Venezuela). Apesar dos elogios feitos ao Uruguai, Lula está otimista quanto a uma boa apresentação brasileira. Nos treinos de hoje pela manhã, o técnico não pôde contar com o pivô Nenê e o armador Leandrinho, que acordaram com dores musculares e foram se exercitar em uma academia. O ala Renato sentiu-se mal e apenas acompanhou a movimentação. Já o pivô Murilo e o armador Valtinho foram resolver problemas com seus passaportes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.