Basquete sem adversário para treinar

A ausência do pivô Maybyner Nenê Hilário, que não sabe se virá para a seleção brasileira, a ida do armador Marcelinho e do pivô Luís Fernando para a Summer League, torneio de verão da NBA, e casos de contusão, como o do armador Helinho, não são os únicos problemas da equipe comandada pelo técnico Hélio Rubens Garcia. Além dos desfalques, a seleção não tem adversário para o amistoso de domingo, em Uberlândia, o de terça-feira, em Anápolis, e o de quinta-feira, em Goiânia. Hoje, Cuba informou que não virá mais ao Brasil. Os jogos seriam parte da preparação para o Mundial de Indianápolis (EUA), a partir de 29 de agosto. O técnico definiu o início do treinamento como atípico. ?Esperava ter os 17 atletas relacionados aqui, mas... Tenho 12, em todas as posições ? armadores, laterais e pivôs ? e com disposição.? Hélio Rubens espera que Nenê se apresente à seleção. ?O diretor do Denver disse que seria importante ter um atleta do time jogando em uma seleção no Mundial, que é nos EUA.? Acrescentou que é preciso esclarecer que a seleção não tem nada a ver com o Vasco ? Nenê tem contrato com o clube até 2003 e o Vasco quer dinheiro para liberar o pivô. Fernando Larraude, supervisor da seleção, que treina em Uberlância (MG), atendeu ao telefone, hoje, respondendo ?tudo mal? à pergunta sobre como estão as coisas. ?Cuba não virá mais e isso significa um prejuízo tremendo. A cidade tem faixas, vendemos ingressos...?, observou. ?Que irresponsabilidade. Estava tudo confirmado com a TV?, acrescentou Hélio Rubens. Se os jogos não forem realizados, o time treinará mais uma semana. Sem patrocinador e dependendo da infra-estrutura dos clubes ? a Unit/Uberlândia recebe a equipe masculina e o COC/Ribeirão Preto, a feminina ? a Confederação Brasileira de Basquete tentou convidar Porto Rico e Venezuela sem sucesso ? e aguardava a resposta de um time argentino. Desfalques - Na quarta-feira, a seleção feminina também começou a preparação para o Mundial da China, em setembro, desfalcada ? nove das convocadas estão no exterior. Adrianinha, Cintia Tuiú, Claudinha, Erika, Helen, Iziane, Janeth e Kelly jogam na WNBA. A pivô Alessandra está na Coréia do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.