Basquete treina com árbitros internacionais

Os treinos coletivos da seleção brasileira masculina de basquete, encarados como jogos, com dois árbitros internacionais apitando, começam amanhã à tarde, em Uberlândia. O técnico Aluísio Ferreira, o Lula, dividirá os 16 jogadores, por posições, em dois times - amarelo e azul. Lula e seus assistentes, Flavio Davis e Guerrinha, poderão paralisar os treinos, após as definições das jogadas, para orientações. O trio vai comandar e orientar os dois times, cada um a seu tempo, conforme a necessidade. Não haverá divisão dos times entre Lula e seus auxiliares. "Todos estarão juntos, pois isso é seleção brasileira", resume Lula. Ou seja, não adiantaria ele dirigir, por exemplo, o time amarelo, e Davis o azul. Isso causaria divisão, afastamento, e é isso o que o treinador não quer. "Eu dou a palavra final, a decisão é minha, mas para tomá-la sempre vou consultá-los, pois temos uma participação integral", avisa Lula. "Sempre troco idéias com eles, mesmo porque já fui assistente e bem tratado pelos técnicos com os quais trabalhei", diz ele, referindo-se a José Medalha, Ary Vidal e Hélio Rubens Garcia.Para Lula, é importante que os três treinadores estejam falando a mesma linguagem, pois fica mais fácil conduzir o trabalho e colocar a sua filosofia de jogo, sem contar que Davis e Guerrinha podem dirigir uma equipe B em amistosos (como na China, em agosto), com os jogadores menos experientes. "É preciso ter um envolvimento." As equipes podem ser mudadas de um dia para outro, já que os coletivos serão diários. Como será feita a estatística de cada treino, ela será avaliada pela comissão técnica. Os jogadores mais experientes, que disputaram o Mundial de Indianápolis em 2002, devem ficar juntos num time, que seria considerado o principal - entre eles Helinho, Marcelinho, Guilherme, Demétrius, Alex e Tiago Splitter, além de outros. Mas isso só será definido em reunião da comissão técnica, na concentração, na noite de hoje. As apresentações dos jogadores estão previstas para as 18 horas.A seleção dirigida por Lula treinará em dois períodos. Das 9h30 às 12 horas, os treinos serão físicos e técnicos. Os jogos-treinos coletivos serão realizados entre 17 e 20 horas. A dúvida inicial de Lula será o aproveitamento ou não do pivô Luís Fernando, recuperando-se de contusão. O médico da seleção deverá avaliá-lo, além dos exames feitos no seu clube, o Minas.

Agencia Estado,

02 de julho de 2003 | 16h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.