Danny Moloshok / Reuters
Danny Moloshok / Reuters

Bicampeão com Lakers, Lamar Odom anuncia que jogará na China na próxima temporada

Jogador volta às quadras após se livrar de vício em drogas

Estadão Conteúdo

27 de julho de 2018 | 11h20

Após pouco mais de quatro anos sem jogar profissionalmente, o ala/pivô Lamar Odom anunciou que voltará a jogar. Bicampeão da NBA com o Los Angeles Lakers em 2009 e 2010, o jogador de 38 anos, que quase morreu em 2015 após uma overdose, revelou em suas redes sociais que irá jogar no basquete da China na próxima temporada. O nome do clube não foi revelado.

O anúncio foi feito em seu perfil pessoal no Instagram, onde agradeceu principalmente à Deus e aos fãs que o apoiaram nos momentos difíceis. O armador Stephon Marbury, que atua na China há oito anos e foi destaque do New York Knicks na década passada, foi citado na publicação como uma grande inspiração.

Na NBA, Lamar Odom foi escolhido pelo Los Angeles Clippers em 1999 e teve sucesso nas 14 temporadas em que atuou. Foi duas vezes campeão com o Los Angeles Lakers, conquistou o título do Mundial de 2010 com os Estados Unidos, faturou a medalha de bronze nas Olimpíadas de 2004, em Atenas (Grécia), e levou o prêmio de melhor Sexto Homem da NBA na temporada 2010/2011.

O ala/pivô ainda fez uma passagem breve pela Espanha em 2014. Em fevereiro, assinou um contrato de dois meses com o Saski Baskonia para a disputa do Campeonato Espanhol e da Euroliga. Após dois jogos com a nova equipe, Lamar Odom retornou aos Estados Unidos a pedido de seu médico para tratar de uma lesão nas costas. Foi seu último time profissional até então.

A partir daí, o jogador passou a ter muitos problemas pessoais. Em outubro de 2015, Lamar Odom foi encontrado inconsciente em um bordel perto de Las Vegas por ter consumido em excesso uma erva com mesmo potencial do viagra. Ao ser levado às pressas para um hospital, passou por um tratamento intensivo. Diversas substâncias foram encontradas em seu organismo, entre elas cocaína e ópio. Após o susto, o jogador conseguiu se livrar de seus vícios.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.