Andres Leighton/AP
Andres Leighton/AP

Brasil bate a Argentina e mantém 100% na Copa América

Seleção masculina de basquete ganha por 76 a 67 e garante terceira vitória seguida na competição

Alan Rafael Villaverde - estadao.com.br,

28 de agosto de 2009 | 16h50

Faltas técnicas, cotoveladas, insultos e jogadas de pura gana são o resumo de mais um embate entre Brasil e Argentina no basquete masculino, vencido pelos brasileiros por 76 a 67 na tarde desta sexta-feira, em partida válida pela terceira rodada da Copa América de basquete, que dá vaga aos primeiros quatro colocados ao Mundial de 2010, na Turquia.

Veja também:

especialCOPA AMÉRICA - Leia mais sobre o torneio

linkMoncho Monsalve critica ataque do Brasil

A vitória não só mantém a liderança do Grupo B ao Brasil, com três vitórias, como serve de "presente" à Argentina, que comemora cinco anos de sua medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas. "Estamos de parabéns pela vitória. É muito bom você fazer parte de um grupo que está focado para vencer", afirmou Leandrinho, cestinha da partida com 21 pontos.

De quebra, o Brasil mostra que pode ditar seu ritmo perante o rival, mesmo que, em alguns momentos, tenha entrado em colapso e realizado jogadas ruins, com excesso de arremessos de três pontos, trazendo ao torcedor péssimas lembranças de uma época em que a equipe se afobava e passava a trocar arremessos com o adversário.

 OS JOGOS DA COPA AMÉRICA
 FASE CLASSIFICATÓRIA

Quarta-feira, 26/8 

Ilhas Virgens 62 x 88 Uruguai

República Dominicana 68 x 81 Brasil

Venezuela 85 x 69 Argentina

México 81 x 66 Porto Rico

Quinta-feira, 27/8 

Panamá 88 x 100 República Dominicana 

Canadá 95 x 40 México 

Brasil 87 x 67 Venezuela 

Porto Rico 85 x 74 Ilhas Virgens

Sexta-feira, 28/8 

Argentina 67 x 76 Brasil

Ilhas Virgens 67 x 87 Canadá 

Venezuela 71 x 80 Panamá 

Uruguai 54 x 71 Porto Rico

Sábado, 29/8 

México 80 x 63 Ilhas Virgens

Canadá 69 x 71 Uruguai

República Dominicana 78 x 73 Venezuela

Panamá 55 x 80 Argentina

Domingo, 30/8 

14h30 - Uruguai x México

17 horas - Brasil x Panamá

19h30 - Argentina x República Dominicana

22 horas - Porto Rico x Canadá

 SEGUNDA FASE

Terça-feira, 1/9

14h30 -

1.º do Grupo A x 4.º do Grupo B

17 horas - 2.º do Grupo A x 3.º do Grupo B

19h30 - 3.º do Grupo A x 2.º do Grupo B

22 horas - 4.º do Grupo A x 1.º do Grupo B

Quarta-feira, 2/9 

14h30 - 3.º do Grupo B x 1.º do Grupo A

17 horas - 4.º do Grupo B x 2.º do Grupo A

19h30 - 1.º do Grupo B x 3.º do Grupo A

22 horas - 2.º do Grupo B x 4.º do Grupo A

Quinta-feira, 3/9

14h30 - 1.º do Grupo A x 2.º do Grupo B

17 horas - 2.º do Grupo A x 1.º do Grupo B

19h30 - 3.º do Grupo A x 4.º do Grupo B

22 horas - 4.º do Grupo A x 3.º do Grupo B

Sexta-feira, 4/9

14h30 - 1.º do Grupo B x 1.º do Grupo A

17 horas - 2.º do Grupo B x 2.º do Grupo A

19h30 - 3.º do Grupo B x 3.º do Grupo A

22 horas - 4.º do Grupo B x 4.º do Grupo A

 SEMIFINAIS

Sábado, 5/9

19h30 -

2.º classificado x 3.º classificado

22 horas - 1.º classificado x 4.º classificado

 DECISÃO DE 3.º LUGAR 

Domingo, 6/9

19h30 - Perdedor do 1.º  x Perdedor do 2.º

 FINAL

Domingo, 6/9

22 horas - Ganhador do 1.º x Ganhador do 2.º
Exemplo disto foram as duas tentativas de três pontos de Anderson Varejão na reta final do último período, o que poderia ter custado caro. Mesmo assim, o jogador do Cleveland Cavaliers foi decisivo. Com 19 pontos e nove rebotes, o brasileiro levou Luis Scola – ao lado de Gutierrez, o único remanescente do time olímpico de Atenas – à loucura, lutando por todos os rebotes e cestas, sendo premiado inclusive com uma cesta de três pontos ao término no segundo quarto.

Novamente com bom jogo de defesa, marcação acirrada no garrafão e saídas rápidas para os contra-ataques, o Brasil chegou a abrir 16 pontos de vantagem, mas a Argentina sempre encontrava maneiras de voltar a assustar. No terceiro período, Scola liderou a reação, cortando a vantagem para apenas uma cesta. "Brasil e Argentina é um jogo de muita rivalidade. Eles estão passando por um momento ruim, mas nunca podemos subestimá-los. Hoje tivemos muita concentração e determinação para vencer", disse o armador Marcelinho Huertas, que terminou o jogo com 18 pontos e cinco assistências.

O Brasil não se assustou com a reação. Continuou com seu jogo de troca de passes e sempre tinha uma resposta à altura, sendo ela uma cesta de Leandrinho, um rebote de Varejão ou uma boa jogada criada por Marcelinho Huertas. Para garantir a vitória, Scola, hoje o principal jogador argentino, foi eliminado por cinco faltas justamente nos minutos finais do quarto período. Saiu com a expressão de quem, finalmente, encontrou um rival à altura.

Com a liderança praticamente certa na primeira fase, o Brasil volta a jogar no domingo, às 17 horas (de Brasília), diante do Panamá, que pega justamente a Argentina, que possui duas derrotas, no sábado, às 22 horas.

MELHORA

Quesito de grande preocupação, o aproveitamento brasileiro nos arremessos livres melhorou significativamente. Neste jogo foi de 75% contra 57% da vitória sobre a Venezuela.

Em contrapartida, o ímpeto histórico do Brasil em arremessar da linha dos três pontos voltou. Foram 17 tentativas. Por bem, seis delas foram acertadas, dando à seleção aproveitamento de 35%.

PREOCUPAÇÃO

Sem o astro Manu Ginobili, que se recupera de lesões nos dois tornozelos, Fabricio Oberto e Carlos Delfino, a seleção argentina conta somente com Luis Scola para ter um atleta de decisão.

Contra o Brasil a raça foi o fator que deixou a Argentina na partida, mas a tendência é de mais derrotas na competição. Já com duas, a seleção portenha terá de encontrar novas maneiras de aproveitar suas jogadas de ataque se pleiteia uma vaga ao Mundial de 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.