Brasil enfrenta Argentina no basquete

O técnico Aluísio Ferreira, o Lula, disse que a seleção brasileira não pode pensar em outro resultado no 40º Campeonato Sul-Americano de Montevidéu, no Uruguai, a não ser a disputa do título, contra a Argentina. O jogo desta quarta-feira, na segunda rodada da fase de classificação, às 18h30 (com SporTV), entre Brasil e Argentina, pode ser uma prévia da final. O torneio será disputado no sistema de pontos corridos. Os dois primeiros decidem o título, o terceiro e o quarto jogam pelo bronze. As três primeiras equipes garantem vagas no Pan de Santo Domingo, a partir do dia 2, e as quatro melhores no Pré-Olímpico de San Juan, também em agosto. Nesta quarta-feira jogam ainda Paraguai x Venezuela (16h30) e Chile x Uruguai (20h30). Nesta terça, os argentinos derrotaram o Chile por 102 a 68. O Brasil leva vantagem sobre os argentinos na história do Sul-Americano - em 44 jogos tem 26 vitórias. Mas nos últimos anos a Argentina, que apresentou um crescimento excepcional, passou a dominar o basquete no continente, chegando até a disputa do Mundial de Indianápolis, em 2002 (foi vice-campeã, contra a Iugoslávia). No Sul-Americano de Valdívia, em 2001, o Brasil perdeu duas vezes para os argentinos. Nas quartas-de-final do Mundial, a última vez em que jogaram, perdeu por 78 a 67. O técnico Lula disse que apenas dois dos atletas que foram ao Mundial e dois que deixaram a seleção no último corte estão na Argentina. Mas o Brasil também não está completo. Além de não ter Nenê Hilário e Leandrinho, que virão apenas para o Pré-Olímpico, não pode contar com Anderson Varejão - a Confederação Brasileira de Basquete ainda não resolveu o problema do seguro do atleta, como exige o Barcelona, o seu clube, na Espanha.

Agencia Estado,

23 de julho de 2003 | 12h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.