Murat Ozturk/CBB/ Bradesco
Murat Ozturk/CBB/ Bradesco

Brasil estreia com derrota no Mundial Feminino de Basquete

Equipe brasileira cai diante da República Checa, atual vice-campeã; com derrota, seleção termina a primeira rodada em terceiro

Estadão Conteúdo

27 Setembro 2014 | 17h21

A seleção brasileira feminina de basquete estreou com derrota no Mundial de Basquete que está sendo realizado na Turquia. Neste sábado, pela primeira rodada do Grupo A, a equipe de Luiz Augusto Zanon alternou muitos altos e baixos e acabou caindo diante da República Checa, atual vice-campeã do torneio, por 68 a 55, na cidade de Ancara.

O resultado deixa o Brasil na terceira colocação do grupo, à frente apenas do Japão, que também perdeu neste sábado, para a Espanha, mas por uma diferença maior de pontos: 74 a 50. As espanholas, aliás, serão as próximas adversárias das brasileiras, neste domingo, às 15h15 (de Brasília). Na terça-feira, será dia de duelo com as japonesas, às 8 horas.

Com uma geração renovada e média de idade de cerca de 25 anos, o Brasil sucumbiu diante do favoritismo do adversário, que chegou na decisão do Mundial há quatro anos, quando sediou a competição. Como a Espanha é uma das forças do esporte, a seleção deve brigar pela terceira colocação da chave com o Japão. O primeiro do grupo vai direto para as quartas de final do torneio, enquanto o segundo e o terceiro vão para uma fase anterior de oitavas.

A cestinha da partida deste sábado foi a checa Hanusova, com 15 pontos. Viteckova, com 13, Burgrova, com 12, e Vesela, com 11 pontos e 11 rebotes, também se destacaram. Do lado brasileiro, somente Clarissa alcançou dígito duplo na pontuação, com dez pontos, além de dez rebotes. Érika não esteve bem e marcou apenas oito pontos, além de ter anotado dez rebotes. Mas Damiris foi a grande decepção, com apenas seis pontos e um arremesso de quadra certo dos dez que tentou.

A seleção brasileira até começou bem neste sábado e abriu 5 a 0, mas aí ficou seis minutos sem pontuar e viu as adversárias abrirem, perdendo o primeiro quarto por dez pontos: 17 a 7. No segundo, até conseguiu reagir, mas não o suficiente para encostar de vez no placar.

O terceiro período foi parecido com o primeiro. O Brasil voltou a apresentar muito nervosismo em quadra e viu as adversárias abrirem novamente. No último quarto, a equipe tentou mais uma vez correr atrás do prejuízo e novamente equilibrou o jogo, mas aí as checas administraram bem a vantagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.