Brasil estréia contra o Chile no Sul-Americano de Basquete

O Brasil estréia nesta quinta-feira no Campeonato Sul-Americano Masculino de Basquete, em Caracas, Venezuela, contra a seleção do Chile, em jogo marcado para às 20h30 de Brasília. Como os atletas que atuam na NBA e na Europa foram poupados da competição por causa do Mundial, em agosto, no Japão, o evento é uma oportunidade para jovens talentos mostrarem serviço. Seis jogadores disputam o primeiro título continental adulto: os armadores Manteiguinha e Marcelinho Huertas, os alas Duda e Marcus Toledo, o ala/pivô Felipe e os pivôs Paulão e Murilo.?A participação na Copa América Juvenil me deu mais confiança para esse desafio. Cheguei na última semana de treinamento e acho que nosso time está bem preparado para buscar o título?, diz Paulão, o caçula da equipe, com 18 anos. ?Disputei o Sul-Americano Cadete, em 2002, e fomos campeões. Acredito que a minha experiência em jogar na Europa vai ajudar ao grupo. Já participei de muitas decisões e jogar o Sul-Americano não me assusta?, afirma Marcus ToledoO desafio não será grande apenas para os estreantes. É o caso do pivô Caio Torres, que na Venezuela disputará seu segundo Sul-Americano. ?Terei mais tempo em quadra, o que aumenta a responsabilidade. Estou confiante na preparação feita e nos bons resultados dos amistosos?, conta. ?Acho que a estréia contra o Chile será tranqüila, mas devemos ter atenção com os alas, que pontuam bem?, complementa o jogador, lembrando que na segunda-feira o Brasil venceu o Chile em amistoso por 82 a 53. Nesta quarta, na abertura do torneio, o Chile perdeu por 87 a 46 para a Venezuela.O Brasil é um time jovem, mas não deve ter problemas no quesito altura. A média dos quatro pivôs do time comandado por Lula Ferreira é de 2,09 metros. ?Pelo amistoso que fizemos contra os chilenos na segunda-feira, não teremos dificuldades para vencê-los nesse Sul-Americano. Embora seja uma equipe organizada, os pivôs não são altos e não oferecem muito perigo?, avalia Estevam, 2,11 metros. ?Contra a Venezuela, acredito que podemos vencer, usando a nossa estatura e juventude?, complementa. Para Murilo, também 2,11 metros, o Uruguai será o adversário mais perigoso. ?Eles vieram com o time principal. Se jogarmos contra eles, teremos que manter a cabeça fria.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.