Divulgação/CBB
Divulgação/CBB

Brasil ganha fácil na estreia na Copa América de basquete

Seleção feminina tem boa atuação e não tem problemas para fazer 78 a 34 na fraca equipe de Porto Rico

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

23 de setembro de 2009 | 21h50

Com muita facilidade, a seleção feminina de basquete estreou na Copa América, disputada em Cuiabá, com uma vitória por 78 a 34 diante de Porto Rico, em jogo válido pelo Grupo A.

 

Veja também:

especialTudo sobre a Copa América de basquete

forum BLOG BATE-PRONTO - 50 anos da Rainha Hortência

 

A vitória tranqüila demonstra que a seleção do técnico Paulo Bassul não terá muitas dificuldades em garantir uma das três vagas ao Mundial da modalidade, na República Checa, em 2010.

 

Agora, o próximo confronto da equipe será diante da fraca República Dominicana nesta quinta, às 20h30 de Brasília, novamente em Cuiabá, enquanto Porto Rico encara o Canadá no mesmo dia, às 16 horas.

COPA AMÉRICA DE BASQUETE
GRUPO A                      GRUPO B

Brasil
                                Argentina

Canadá                             Chile

Porto Rico                        Cuba

República Dominicana      Venezuela

TABELA

Quarta

Chile 60 x 94 Cuba

Rep. Dominicana 37 x 103 Canadá

Porto Rico 34 x 78 Brasil*

22h15 - Venezuela x Argentina

Quinta

16h - Canadá x Porto Rico

18h15 - Argentina x Chile

20h30 - Brasil x R. Dominicana*

22h45 - Cuba x Venezuela

Sexta

16h - Porto Rico x R. Dominicana

18h15 - Chile x Venezuela

20h30 - Canadá x Brasil*

22h45 - Argentina x Cuba

Sábado

Disputa do 5º ao 8º lugar

16h - 3º do A x 4º do B

18h15 - 4º do A x 3º do B

Semifinais

20h30 - 1º do A x 2º do B

22h45 - 2º do A x 1º do B

Domingo

15h30 - Decisão do 7º lugar

17h30 - Decisão do 5º lugar

19h30 - Disputa pelo 3º lugar

21h30 - final

* ao vivo no  SporTV 2

 

Diante da aniversariante Hortência, que completou 50 anos de vida, a seleção brasileira não encontrou resistência alguma de Porto Rico, que se limitava a arremessar de qualquer forma, sem jogada alguma ensaiada.

 

O Brasil, por sua vez, errou demais na armação das jogadas, demorando demais para realizar a movimentação desejada por Paulo Bassul. Desta forma, o jogo foi moroso, sem grandes jogadas, dando a entender de que muito precisa ser feito para que a renovação da seleção seja satisfatória.

 

Além do erro na armação de jogadas, as meninas brasileiras, assim como os homens, exageraram nos erros nos lances livres, com pífio aproveitamento de 56% (14 acertos de 25 tentativas). O aproveitamento da linha dos três pontos também não foi o esperado: 30% (seis acertos em 20 tentativas).

 

O destaque do jogo para a seleção brasileira foi Adrianinha, com 18 pontos, cinco assistências e nove rebotes, enquanto a veterana Alessandra contribuiu com 10 pontos e 10 rebotes, mais um double-double em sua carreira. Pelo lado de Porto Rico, o destaque ficou por conta de Cynthia Marie Valentin, com 14 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.