Divulgação/FIBA
Divulgação/FIBA

Brasil perde e pega Canadá na semi da Copa América de Basquete

Equipe é derrotada pela Argentina e termina em 2º do Grupo B

Estadão Conteúdo

14 Agosto 2015 | 08h29

A seleção brasileira de basquete feminino terá uma parada dura na semifinal da Copa América, disputada na cidade de Edmonton, no Canadá. As comandadas do técnico Luiz Augusto Zanon terão pela frente justamente as donas da casa, neste sábado, a partir das 21 horas (de Brasília). Isso porque, na noite desta quinta-feira, o Brasil foi derrotado pela Argentina por 73 a 69 (38 a 24 no primeiro tempo) e ficou na segunda colocação do Grupo B.

Na fase de classificação, a seleção brasileira venceu com facilidade as três primeiras partidas - contra Venezuela, Equador e Ilhas Virgens - e caiu justamente na última rodada para as argentinas, que terminaram a etapa invictas e enfrentarão Cuba na primeira semifinal deste sábado, às 18h30 (de Brasília). No Grupo B, o Canadá manteve os 100% e garantiu a liderança ao bater as cubanas por 92 a 43.

Os ganhadores das semifinais decidirão o título no domingo, enquanto que os perdedores disputarão o terceiro lugar. O campeão - com exceção do Brasil, que já está garantido por ser país-sede - garante a vaga nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, e as outras duas seleções irão para o Pré-Olímpico Mundial, no ano que vem. Assim como o vencedor do duelo entre Porto Rico e Venezuela, pelo quinto lugar da Copa América, neste sábado, às 16h15 (de Brasília).

A cestinha da partida entre Brasil e Argentina foi a ala Iziane Marques, com 25 pontos - ela ainda pegou cinco rebotes e deu uma assistência. Outros destaques da equipe nacional foram as pivôs Gilmara Justino (12 pontos, quatro rebotes e duas assistências) e Nádia Colhado (10 pontos, nove rebotes e uma recuperação de bola). As principais pontuadoras argentinas foram Debora Gonzalez e Andrea Boquete, com 12 pontos cada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.