Fernando Llano/AP
Fernando Llano/AP

Brasil perde para Porto Rico na estreia da Copa América de basquete

Desfalcada, seleção brasileira foi derrotada por 72 a 65 na primeira partida na Venezuela

AE, Agência Estado

30 de agosto de 2013 | 20h29

CARACAS - A seleção brasileira masculina de basquete estreou com derrota na Copa América da Venezuela, que garante quatro vagas para o Mundial da Espanha no ano que vem. Diante de Porto Rico, o time de Rubén Magnano mostrou toda fragilidade de uma equipe desfalcada de quase todos seus principais jogadores e acabou caindo por 72 a 65, na cidade de Caracas.

Sem os atletas que atuam na NBA - Leandrinho, Anderson Varejão, Tiago Splitter, Nenê e Vitor Faverani -, o time brasileiro praticamente repetiu a atuação que teve diante de Porto Rico na Copa Tuto Marchand, no último final de semana, quando também fez jogo parelho, mas acabou caindo por 84 a 81.

A equipe brasileira agora folga na segunda rodada e só voltará à quadra no domingo, quando enfrenta o Canadá, às 12h30 (de Brasília), precisando da vitória. Na segunda-feira, o adversário será o Uruguai e a última partida da primeira fase será diante da Jamaica, na terça.

Nesta sexta, a seleção teve muita dificuldade para parar os pivôs de Porto Rico, principalmente no segundo tempo. Com isso, Renaldo Balkman terminou como cestinha, com 24 pontos, além de oito rebotes. Pelo lado brasileiro, destaque para Marcelinho Huertas, que terminou com 16 pontos, e Guilherme Giovannoni, com 11.

A seleção começou dependente de Marcelinho Huertas, que marcou dez dos primeiros 14 pontos da equipe, e errando demais na defesa, o que fez com que Porto Rico disparasse no placar. Após tempo pedido por Magnano, no entanto, o Brasil apertou a marcação, passou a pontuar no contra-ataque e chegou a virar o placar. Ao fim do primeiro tempo, a vantagem do adversário era de apenas dois pontos: 31 a 29.

O Brasil voltou para o segundo tempo ainda melhor. A marcação sufocante não deixava os porto-riquenhos jogarem e, desta forma, a seleção voltou à ficar à frente, abrindo cinco pontos. A equipe manteve o ritmo até o final do quarto e, apesar de o adversário ter encostado, foi para o último quarto com vantagem de três pontos.

Mas no período final os pivôs brasileiros não conseguiram parar os de Porto Rico. Renaldo Balkman tomou conta do garrafão ofensivo e pontuava a cada jogada e, assim, a equipe virou o placar e abriu seis pontos de vantagem. A 20 segundos para o fim, Vitor Benite ainda teve a chance de aproximar o Brasil novamente, mas errou bandeja fácil e selou a derrota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.