Brasil reconhece falhas no Mundial de Basquete

A derrota para a Rússia por 76 a 53, nesta segunda-feira, na abertura da segunda fase do Mundial da República Checa, deixou as jogadoras da seleção brasileira feminina de basquete abatidas. Depois do jogo, elas reconheceram as falhas que a equipe vem apresentando no campeonato. Mas prometem reagir nesta terça, quando o Brasil enfrenta o Japão, a partir das 10h30 (horário de Brasília), novamente na cidade de Brno.

AE, Agência Estado

27 de setembro de 2010 | 17h55

"As russas vieram com jogo bem agressivo e marcação forte para cima da gente e nós não conseguimos igualar essa agressividade. Temos que jogar com mais vontade", admitiu a ala Iziane, uma das principais jogadoras da seleção, que conseguiu marcar apenas cinco pontos diante da Rússia.

"Temos noção de que não estamos apresentando o basquete que somos capazes de jogar. A gente sabe que o campeonato é forte, mas estamos errando muito e temos que recuperar nosso jogo para vencer as próximas partidas", afirmou a ala Fernanda Beling, que não conseguiu marcar nenhum ponto no jogo.

Até agora, o Brasil só conseguiu vencer a inexpressiva Mali no Mundial da República Checa. Enquanto isso, soma derrotas para Coreia do Sul, Espanha e Rússia. Assim, precisa de uma combinação de resultados nas duas últimas rodadas para ir às quartas de final da competição.

"Contra o Japão, temos que aproveitar algumas vantagens do nosso time. Se jogarmos aquilo que somos capazes, podemos vencer as próximas duas partidas", avisou Iziane, lembrando que o Brasil ainda enfrentará a anfitriã República Checa na quarta-feira, quando acaba a segunda fase.

"Ainda não encontramos o nosso melhor jogo. Estamos numa situação difícil, mas não vamos desistir, pois ainda temos dois jogos e vamos buscar as vitórias", prometeu a armadora Adrianinha, que foi a cestinha do Brasil, ao lado da pivô Érika, com 11 pontos marcados diante da Rússia.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteMundialBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.