Fiba
Fiba

Brasil supera El Salvador por diferença de 75 pontos na estreia da Copa América de basquete feminino

No Coliseo Roberto Clemente, em Porto Rico, seleção brasileira atua em ritmo forte para derrotar o primeiro adversário por 118 a 43

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2021 | 20h51

A seleção brasileira feminina de basquete estreou na Copa América com uma vitória incontestável sobre El Salvador. No Coliseo Roberto Clemente, em Porto Rico, o Brasil fez um ótimo jogo defensivo e foi eficiente no ataque para vencer por 118 a 43, uma vantagem de 75 pontos, nesta sexta-feira.

O segundo jogo da equipe comandada pelo técnico José Neto será neste sábado, diante da Colômbia, às 16h, com transmissão do SporTV3. A seleção ainda enfrenta Canadá (domingo) e Ilhas Virgens (segunda-feira), pelo Grupo A da primeira fase da competição que dá quatro vagas para o Pré-Mundial de 2022. 

A cestinha do Brasil foi Thayná Silva, que anotou 22 pontos (pegou ainda 13 rebotes). Destaque também para Kamilla Cardoso, que registrou um duplo-duplo, com 16 pontos e 12 rebotes, e ainda conseguiu três tocos. Débora Costa foi eficiente na marcação, com seis roubos de bola.

"Jogamos uma ótima partida, não só pelos números, mas jogamos como um time. Praticamos para jogar como um time e isso funcionou muito bem, nos dando uma excelente vitória. Essa situação aconteceu porque jogamos muito bem, com muito ritmo, com bastante pontos vindo do banco. Nosso time precisa jogar sempre assim, marcando, com defesa forte. O mais importante é que respeitamos o nosso oponente. Demos o nosso melhor", afirmou o técnico José Neto.

O Brasil demorou um pouco para entrar no clima do jogo, mas, quando o fez, rapidamente impôs sua superioridade. A seleção aproveitou sua vantagem na estatura para forçar o jogo interior. A pivô Kamilla Cardoso, de 2,01m, se destacou. A jogadora de 19 anos, que atua no basquete universitário dos Estados Unidos, anotou cinco pontos e pegou cinco rebotes na vitória por 28 a 11 na primeira parcial.

A seleção manteve o ritmo no segundo período. Com uma marcação forte, o time de José Neto forçava os erros da equipe de El Salvador, que viu o cronômetro de posse de bola zerar algumas vezes. No ataque, o Brasil era solidário e eficiente. Com 27 a 7 na parcial, as brasileiras foram para o intervalo com uma confortável vantagem de 37 pontos (55 a 18).  

José Neto voltou para o terceiro período com Érika de Souza e Clarissa para forçar ainda mais o jogo no garrafão. Além disso, Débora Costa era implacável na marcação, roubando diversas bolas e convertendo cestas fáceis. O Brasil fez 33 a 11 na parcial e foi para o último período com 59 pontos de frente.

A vantagem no placar permitiu que José Neto rodar o elenco. O treinador deu tempo em quadra razoável para quase todas as atletas. Apesar das mudanças, o Brasil não diminuiu o ritmo. No último período, vitória por 30 a 14 para fechar o triunfo por 118 a 43. Uma bola de três de Tássia Carcavalli selou o elástico resultado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.