Ana Martinez/Reuters
Ana Martinez/Reuters

Brasil vence em sua estreia na Copa América de basquete

Vitória de 81 a 68 sobre a República Dominicana - uma das favoritas - coloca seleção no topo do Grupo B

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

26 de agosto de 2009 | 18h40

Com uma boa atuação de Alex Garcia, o Brasil venceu a República Dominicana por 81 a 68 na noite desta quarta-feira, em sua estreia na Copa América de basquete, em Porto Rico, e que classifica os quatro primeiros colocados ao Mundial de 2010, na Turquia.

Veja também:

linkMoncho elogia estreia do Brasil

linkUruguai estreia com vitória na Copa América

O ala/armador brasileiro, que terminou o jogo como cestinha ao lado de Leandrinho, com 21 pontos, foi decisivo para a seleção brasileira no começo do último quarto, quando o time perdia por seis pontos. Com nove pontos seguidos, Alex Garcia liderou a virada, fazendo a República Dominicana se afobar em jogadas de corta-luz e, principalmente, em suas triangulações treinadas pelo técnico Julio Toro, ex-Porto Rico.

Apesar da vitória e da liderança provisória do Grupo B, a seleção brasileira mostrou novamente velhas falhas, como a dificuldade de movimentação na marcação, facilitando a infiltração e os arremessos de três pontos dos dominicanos, liderados pelo trio Charlie Villanueva (Detroit Pistons), Al Horford (Atlanta Hawks) e Francisco Garcia (Sacramento Kings), assim como o péssimo aproveitamento nos lances livres, de 67%.

 Tabela da Copa América
Fase de classificação - 26/8 

Ilhas Virgens 62 x 88 Uruguai

República Dominicana 68 x 81 Brasil

Venezuela 85 x 69 Argentina

México 81 x 66 Porto Rico

Fase de classificação- 27/8

14h30 -

Panamá x República Dominicana

17 horas - Canadá x México

19h30 - Brasil x Venezuela

22 horas - Porto Rico x Ilhas Virgens

Fase de classificação - 28/8 

14h30 - Argentina x Brasil

17 horas -

Ilhas Virgens x Canadá

19h30 - Venezuela x Panamá

22 horas - Uruguai x Porto Rico

Fase de classificação - 29/8 

14h30 -

México x Ilhas Virgens

17 horas - Canadá x Uruguai

19h30 - República Dominicana x Venezuela

22 horas - Panamá x Argentina

Fase de classificação - 30/8 

14h30 -

Uruguai x México

17 horas - Brasil x Panamá

19h30 - Argentina x República Dominicana

22 horas - Porto Rico x Canadá

Fase de classificação - 1/9

14h30 -

1.º do Grupo A x 4.º do Grupo B

17 horas - 2.º do Grupo A x 3.º do Grupo B

19h30 - 3.º do Grupo A x 2.º do Grupo B

22 horas - 4.º do Grupo A x 1.º do Grupo B

Fase de classificação - 2/9 

14h30 -

3.º do Grupo B x 1.º do Grupo A

17 horas - 4.º do Grupo B x 2.º do Grupo A

19h30 - 1.º do Grupo B x 3.º do Grupo A

22 horas - 2.º do Grupo B x 4.º do Grupo A

Fase de classificação - 3/9

14h30 -

1.º do Grupo A x 2.º do Grupo B

17 horas - 2.º do Grupo A x 1.º do Grupo B

19h30 - 3.º do Grupo A x 4.º do Grupo B

22 horas - 4.º do Grupo A x 3.º do Grupo B

Fase de classificação - 4/9

14h30 -

1.º do Grupo B x 1.º do Grupo A

17 horas - 2.º do Grupo B x 2.º do Grupo A

19h30 - 3.º do Grupo B x 3.º do Grupo A

22 horas - 4.º do Grupo B x 4.º do Grupo A

Semifinal e final - 5 e 6/9

19h30 -

2.º classificado x 3.º classificado

22 horas - 1.º classificado x 4.º classificado

--  

3.º lugar - 19h30 - Perdedor do 1.º  x Perdedor do 2.º

FINAL - 22 horas - Ganhador do 1.º x Ganhador do 2.º

Em contrapartida, a equipe liderada pelo técnico Moncho Monsalve foi tranquila no último período, com bom toque de bola no ataque e jogadas com seus dois jogadores de garrafão: Tiago Splitter e Anderson Varejão, abrindo espaços para arremessos livres do perímetro para Leandrinho, Alex e Marcelinho Machado.

O próximo confronto da seleção brasileira acontece nesta quinta, às 19h30 (de Brasília), diante da rival Venezuela. Já a República Dominicana enfrenta o Panamá, às 14h30.

O JOGO

Contando com Splitter e Varejão no garrafão, o Brasil dominou o primeiro período com jogadas bem trabalhadas, quase sempre tendo infiltrações como desfecho. A República Dominicana, por sua vez, se limitava aos arremessos no perímetro, sem sucesso.

Aos poucos, os arremessos de longa distância começaram a cair para a República Dominicana, que passou à frente no segundo período, mas conseguiu abrir vantagem de seis pontos apenas ao término do terceiro, principalmente pela ausência de Tiago Splitter no garrafão, que, com quatro faltas, ficou no banco.

Ciente de que precisava novamente dar força à marcação, Moncho Monsalve recolocou Splitter no jogo, e foi recompensado por isso. Com mais liberdade para armar e sair no contra-ataque por causa do reforço no garrafão, Alex Garcia levou o Brasil novamente à liderança com nove pontos seguidos.

Os arremessos de três, que antes caíam com facilidade, já não eram uma arma para a República Dominicana, que passou a rifar a bola e forçar jogadas no garrafão. Os jogadores brasileiros mantiveram a pressão sobre Charlie Villanueva e Al Horford, que foram eliminados com cinco faltas.

Resultado disso foi um quarto período perfeito para a seleção brasileira, que fechou com 24 a 7. "Mostramos a nossa força. Tivemos calma, boa marcação e viramos o jogo quando importava", disse Alex Garcia, em entrevista ao SporTV.

NÚMEROS

O Brasil terminou o jogo com aproveitamento de 48% nos arremessos de quadra, tendo os dois cestinhas, Alex Garcia e Leandrinho, com 21 pontos. Já a dupla Tiago Splitter e Anderson Varejão terminou com 24 pontos e 20 rebotes, vencendo os rivais Horford e Villanueva por cinco pontos e oito rebotes.  O maior pontuador dominicano foi Francisco Garcia, com 17 pontos.

Ao contrário dos jogos preparatórios para a Copa América, a seleção abusou um pouco mais dos arremessos de três pontos, mas com um aproveitamento bom de 35% (sete acertos em 20 tentativas). A República Dominicana teve mais pontaria, com 46% de aproveitamento, com 11 acertos em 24 tentativas.

Hans Deryk/Reuters

Jogadores da seleção brasileira comemoram a vitória sobre a República Dominicana por 81 a 68

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.