Matthew Stockman/AFP
Matthew Stockman/AFP

Briga política com pivô do Portland faz NBA não ser exibida na Turquia

Enes Kanter é acusado de ter laços terroristas por ser crítico do presidente do País, Tayyip Erdogan

Ece Toksabay e Tuvan Gumrukcu, Reuters

14 de maio de 2019 | 17h08

O Portland Trail Blazers, time do jogador de basquete turco Enes Kanter, chegou à final da Conferência Oeste da NBA, que começa nesta terça-feira, mas pela primeira vez o duelo não será televisionado na Turquia, onde ele é acusado de ter laços terroristas.

A S Sport, principal emissora responsável pelos jogos da Associação Nacional de Basquete norte-americana (NBA) na Turquia, ignorará a final de conferência entre os Blazers e os atuais campeões Golden State Warriors para manter Kanter longe das televisões turcas, disse Omer Sarac, comentarista da emissora.

As emissoras turcas não exibem os jogos de Kanter desde o ano passado, quando ele foi indiciado por um tribunal turco, o que incluiu a partida de domingo em que o pivô de 26 anos marcou 12 pontos e pegou 13 rebotes em uma vitória emocionante do Blazers sobre o Denver Nuggets por quatro pontos.

O resultado colocou o Portland na final de melhor de sete jogos da conferência e a um passo da final da liga, que tampouco será exibida se Kanter estiver jogando. Os playoffs da NBA são exibidos na íntegra na Turquia desde que as transmissões começaram, nos anos 1990.

"Posso dizer claramente que não transmitiremos a disputa Warriors-Blazers", disse Sarac à Reuters. "Além disso, se o Portland chegar à final, isso tampouco será transmitido... esta situação não diz respeito a nós, mas é o que é".

Kanter é um crítico explícito do presidente turco, Tayyip Erdogan, e se descreve como um aliado próximo do clérigo Fethullah Gulen, que mora nos Estados Unidos e que Ancara culpa por um golpe de Estado fracassado de julho de 2016. Gulen nega envolvimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.