Ronald Martinez/AFP
Ronald Martinez/AFP

Campeão, 'supertime' dos Warriors pode ter vida curta na NBA

Golden State terá de renovar contrato de Curry, o que vai comprometer o orçamento

O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2017 | 01h01

O que parecia inevitável no início da temporada, realmente aconteceu. O Golden State Warriors fez valer seu favoritismo e, ao superar o Cleveland Cavaliers por 129 a 120, fechou a série em 4 a 1 e conquistou o título da NBA com mais uma atuação brilhante de Kevin Durant, que mostrou ser realmente a peça que faltava para o time californiano dominar a liga. O que resta agora é saber: até quando durará esse "supertime"?

Logo depois de perder para os Cavaliers na última final, os Warriors foram letais no mercado ao contratar o melhor jogador disponível: Kevin Durant. Grande estrela do Oklahoma City Thunder, o ala preferiu deixar seu fiel escudeiro Russell Westbrook para trás e se juntar ao já estrelado time, que contava com Draymond Green, Stephen Curry e Klay Thompson. O quarteto deu resultado imediato, com o título logo na primeira temporada.

Apesar do momento ser de festa, nem tudo vai "às mil maravilhas", já que é possível que o forte time dure apenas uma temporada. Para o próximo ano, dois dos astros, Durant e Curry, não possuem contrato garantido. O primeiro deles tem a opção de renovar automaticamente para ganhar US$27,7 milhões (R$ 90, 7 milhões) e ficar mais um ano na franquia de Oakland, o que, de acordo com suas recentes declarações, deve acabar acontecendo: "Aqui é onde eu devia estar a essa altura da minha vida. Estou encarando isso e conquistando tudo. Estou aproveitando cada passo", declarou ao site The Undefeated. "Eu tomei uma decisão 100% correta, vencendo ou perdendo. Eu sinto que esse é o lugar que eu devia estar. Eu aprecio tudo que fiz antes disso, mas estou aqui agora e eu sinto que é um bom lugar para mim".

Já o caso de Curry, porém, é um pouco mais complicado. Melhor jogador da liga nas temporadas 2014/2015 e 2015/2016, o armador tem apenas o quarto maior salário dos Warriors, ganhando pouco mais de US$ 12 milhões (R$ 39 milhões), muito aquém de tudo que ele representa. Para ficar com ele, é provável que a franquia ofereça um contrato de cinco anos no valor total de US$ 210 milhões (R$ 686 milhões). É até provável que Curry decida ficar no único time que defendeu na NBA, mas pode ser que receba propostas bastante atraentes financeiramente de outras equipes, o que pode mexer com a cabeça do astro, agora dono de dois títulos da liga.

O problema para os Warriors é que, com o camisa 30 aceitando essa proposta, isso deve comprometer o teto salarial do time. Se conseguir manter Curry, o time não terá espaço para manter jogadores secundários do elenco, como Andre Iguodala e Shaun Livingston, fundamentais para manter o esquema de jogo da equipe e figuras de destaque em alguns momentos das finais.

Tudo o que sabemos sobre:
BasqueteNBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.