Cartola do Cleveland vem ao Brasil para negociar com Varejão

A negociação já dura mais de 3 meses, o que impediu o ala-pivô de defender o Brasil no Pan e no Pré-Olímpico

15 de outubro de 2007 | 21h23

Antes de viajar com o Cleveland Cavaliers à China, onde a equipe realiza dois amistosos de pré-temporada contra o Orlando Magic, o gerente-geral da franquia, Danny Ferry, veio ao Brasil na semana passada para tentar renovar o contrato do ala-pivô Anderson Varejão. A informação foi publicada pelo "Akron Beacon Journal". A negociação já dura mais de três meses, o que impediu Varejão de defender o Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio e no Pré-Olímpico de Las Vegas. Também não pôde se apresentar ao time da liga norte-americana para a pré-temporada, que teve início há duas semanas - Varejão está treinando em uma academia em Vitória, no Espírito Santo, onde mora sua família. Seu agente, Dan Fegan, estaria pedindo US$ 10 milhões (R$ 18 milhões) anuais à diretoria do Cleveland. O novo contrato seria maior que o de Nenê Hilário, o brasileiro mais bem pago na NBA, com vencimentos estimados em cerca de US$ 8,9 milhões (R$ 16 milhões) junto ao Denver Nuggets. O Cleveland estaria disposto a pagar US$ 21 milhões por três temporadas (R$ 37, 9 milhões). O time já disputou três jogos na pré-temporada, com uma vitória e duas derrotas. Sem Varejão, a opção no garrafão tem sido Dwayne Jones, sem contrato garantido para o campeonato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.