Derick E. Hingle/USA Today Sports
Derick E. Hingle/USA Today Sports

Cavaliers, Bulls e Warriors ficam a um triunfo de avançarem

Equipes abrem 3 a 0 de vantagem nos playoffs da NBA

Estadão Conteúdo

24 de abril de 2015 | 09h17

A noite de quinta-feira dos playoffs da NBA foi emocionante, mas o desfecho das três partidas realizadas foi o mesmo que já vinha acontecendo em cada uma das séries. Cleveland Cavaliers, Chicago Bulls e Golden State Warriors venceram fora de casa, respectivamente, Boston Celtics, Milwaukee Bucks e New Orleans Pelicans, e agora estão a um triunfo de conseguirem a classificação à próxima fase.

O primeiro jogo do dia foi o único que não foi para a prorrogação, o que não significa que os Cavaliers tenham tido facilidade para cima dos Celtics no triunfo por 103 a 95, em Boston. Mesmo com um time bem mais experiente e qualificado, os comandados de David Blatt sofreram e viram o adversário diminuir a diferença para três pontos a dois minutos para o fim. Mas Kevin Love, com duas bolas de três, definiu o triunfo.

Love teve sua melhor partida na série, com 23 pontos e nove rebotes, mas o destaque foi LeBron James, cestinha com 31 pontos e que completou o "double-double" com 11 rebotes. Kyrie Irving, em dia pouco inspirado, anotou 13 pontos. Pelos Celtics, destaque para os 19 pontos e oito rebotes de Evan Turner. Agora, com a vantagem de 3 a 0, os Cavaliers podem avançar já no domingo, quando voltam a atuar em Boston.

Mesma situação vivem os Bulls, que abriram 3 a 0 diante dos Bucks, em Milwaukee, e podem fechar a série neste sábado. Mas na quinta-feira, a equipe sofreu bastante e precisou de duas prorrogações para fazer 113 a 106, graças aos 34 pontos de Derrick Rose, os 24 pontos de Jimmy Butler e os 17, além de 14 rebotes, de Pau Gasol. Giannis Antetokounmpo respondeu com 25 pontos e 12 rebotes, mas não foi o suficiente.

Os Bulls chegaram a abrir oito pontos a um minuto e meio para o fim do tempo normal, mas Khris Middleton anotou oito pontos seguidos para levar o jogo para a prorrogação. No primeiro tempo extra, as duas equipes erraram muito, O.J. Mayo chegou a ter a chance da vitória para os Bucks, mas desperdiçou. No segundo, no entanto, o time de Chicago começou arrasador, abriu oito pontos logo de cara e não deixou o adversário reagir.

Apesar das duas prorrogações em Milwaukee, o melhor da noite ficou para o fim. O Golden State Warriors e Stephen Curry fizeram história em uma das maiores viradas da NBA nos últimos tempos. Na prorrogação, o time de Oakland fez 123 a 119 diante do New Orleans Pelicans, na casa do adversário, e pode se classificar se vencer novamente neste sábado.

O duelo inteiro foi marcado pela superação dos Warriors. Depois de um início ruim, a equipe entrou no último período perdendo por 20 pontos. A seis minutos para o fim, a diferença ainda era de 17. Stephen Curry comandou a reação e a 12 segundos diminuiu a vantagem adversária de cinco para dois pontos. A dois segundos, acertou a bola de três decisiva que levou o jogo para a prorrogação, na qual, novamente, comandou sua equipe à vitória.

A atuação histórica de Curry ficou visível nos números. Foram 40 pontos, nove assistências e cinco rebotes para o armador, que acertou sete bolas de três. Ele ainda contou com a colaboração de Klay Thompson, que terminou com 28 pontos. Em 11 minutos em quadra, Leandrinho marcou seis. Do outro lado, Anthony Davis teve 29 pontos e 15 rebotes, mas errou a bola decisiva que poderia levar o jogo para a segunda prorrogação. Ryan Anderson deixou o banco e contribuiu com 26 pontos.

Os playoffs da NBA terão sequência nesta sexta-feira com mais três partidas. Em casa, o combalido Dallas Mavericks, sem Rajon Rondo e Chandler Parsons, recebe o Houston Rockets tentando diminuir a desvantagem de 2 a 0. Situação oposta vive o Washington Wizards que venceu as duas fora de casa e pode abrir 3 a 0 sobre o Toronto Raptors em casa. Na mais disputada série até o momento, San Antonio Spurs e Los Angeles Clippers se enfrentam no Texas empatados em 1 a 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.