CBB apresenta proposta para 2006

"Está faltando o nome. O Oscar (Schmidt, presidente da Nossa Liga) quer Nossa Liga e o Grego (Gerasime Bosikis, presidente da Confederação Brasileira de Basquete, CBB) quer Campeonato Nacional. Mas eles vão se entender". A frase do presidente da Federação Paulista de Basquete, Antonio Chakmati, sintetizou a reunião realizada pela CBB, nesta quinta-feira, no Rio, com o objetivo de iniciar as discussões para a disputa de 2006. Durante o encontro em que participaram cerca de 40 clubes, Grego apresentou a proposta para a realização do Nacional de Basquete de 2006. A princípio, as maiores reivindicações da Nossa Liga foram atendidas: um comitê executivo formado por cinco representantes dos clubes se juntaria aos representantes da CBB e dos patrocinadores para gerir a disputa. Ainda integram a proposta a criação de um departamento autônomo, com contabilidade independente dentro da CBB, e a manutenção da fórmula de disputa, que seria formada por 16, 18 ou 20 clubes, com jogos de dezembro a junho. Grego ainda afirmou que está negociando com um patrocinador para custear a realização de um campeonato de "alto nível". Não revelou valores, mas disse considerar o montante de R$ 5 milhões o ideal para o evento. Em 2005, foram gastos na disputa R$ 700 mil e, em 2004, R$ 1,5 milhão. Ao deixar a discussão, Oscar, que na quarta-feira se reuniu em São Paulo com os clubes integrantes da Nossa Liga e sugeriu boicote ao encontro desta quinta, foi sintético e pronunciou apenas uma frase. "Do jeito que está, nós não participamos desse campeonato". Já Grego lembrou que o ex-astro do basquete, assim como seus parceiros, não falaram nada durante a conversa de aproximadamente 1h30. O dia D para terminar com as incertezas quanto ao futuro do basquete brasileiro pode ser a próxima quinta-feira. O presidente da CBB marcou esta data para que os clubes realizem a pré-inscrição para a disputa do Nacional de 2006 e manteve sua postura de não reconhecimento da Nossa Liga. "Chancelar o quê? Ouvi dizerem: nós temos poder! Então, vamos juntar esse poder", frisou Grego. "Com o que propus, eles entram dentro da CBB e atendo a todos os desejos deles. E não sei porque ter Nossa Liga. Me disseram que o nome Campeonato Nacional é melhor comercialmente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.