Kiko Ross/CBB
Kiko Ross/CBB

CBB entregará carta de intenção e encaminha casa própria em Jundiaí

Entidade assinou também contrato com Campinas para uso da Arena Concórdia por dois anos

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2017 | 18h42

A Confederação Brasileira de Basketball vai dar mais um passo para ter sua casa própria na próxima semana. No mesmo dia em que assinou com o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, um acordo para utilização da Arena Concórdia por dois anos, a entidade confirmou que vai entregar na segunda-feira uma carta de intenção na Prefeitura de Jundiaí para construção de um moderno Centro de Treinamento na cidade.

"A prefeitura de Jundiaí já tinha uma área, tem um projeto aprovado e ficou muito à vontade ao ver o tamanho da seriedade da nova gestão da CBB", afirmou Marcelo Souza, diretor executivo da entidade, ao Estado, após participar da assinatura do acordo em Campinas.

A expectativa é que o CT em Jundiaí possa estar pronto ao final do contrato para utilização da Arena Concórdia. "Uma obra desta complexidade não será construída em um ano, um ano e meio... São 38 mil m² de construção, é uma coisa fabulosa. Seria o nosso sonho de consumo maior, uma instalação que estaria toda ela modelada para o basquete", explicou.

Até lá, a CBB fará uso da Arena Concórdia para o treinamento de suas seleções. No evento de assinatura do contrato, além de Marcelo de Souza, participam ex-jogadores, como Adriana, e atletas da atuação geração do basquete, como Vitor Benite, que atualmente defende o Murcia, da Espanha.

"A CBB nunca teve uma casa própria. Teremos um espaço moderno, polifuncional, será o local de treinamento das seleções, da sub-15 até principal. Estamos finalmente muito bem instalados", comentou Marcelo de Souza. "É uma casa alugada, mas com capacidade de fazer o basquete", completou.

O diretor executivo fez questão de enaltecer o trabalho do presidente Guy Peixoto. "O basquete ficou muito tempo em um estado de dormência e em apenas 90 dias o presidente Guy Peixoto está dando duas soluções para termos uma casa própria. O destino de tudo isso serão os resultados", afirmou.

Desde março, Guy tomou diversas ações para cortar custos e principalmente liberar o repasse das verbas do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e de projeto incentivados. A CBB conseguiu recentemente a Certidão Negativa de Débito (CND) da Receita Federal e, desde então, busca liberar o dinheiro que está bloqueado desde que a entidade foi suspensa pela Federação Internacional de Basquete (Fiba) em novembro do ano passado.

O emissário da Fiba, o espanhol José Luis Sáez, está no Brasil desde terça-feira e tem acompanhado o trabalho da nova gestão da CBB. A entidade máxima do basquete vai se posicionar novamente sobre a situação brasileira no dia 21 de junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.