CBB espera chegar a acordo com técnico argentino

Expectativa da entidade é de que Rubén Magnano seja oficializado como treinador no início da semana

Amanda Romanelli, O Estado de S. Paulo

15 de janeiro de 2010 | 21h12

Os dirigentes da Confederação Brasileira de Basquete (CBB) esperam encerrar nos próximos dias os últimos detalhes da contratação do técnico Rubén Magnano para o comando da seleção masculina. A expectativa é de que o argentino seja oficializado no cargo na próxima segunda-feira.

Nesta sexta, o diretor do departamento masculino, Vanderlei Mazzuchini, e o consultor de marketing, José Carlos Brunoro, reuniram-se com o agente do treinador, Carlos Prunes, em São Paulo. "Agora vamos entrar na discussão de detalhes contratuais, embora eu só cuide da parte técnica".

Segundo o presidente Carlos Nunes, a questão salarial ainda estava no marco zero. Campeão olímpico com a Argentina em Atenas/2004 e vice-campeão mundial em Indianápolis/2002, Magnano trabalhava até o fim de 2009 no Atenas, de Córdoba, time de sua cidade natal. Lá, tinha um salário de US$ 10 mil (R$ 17,7 mil).

A CBB oferecerá a Magnano um contrato até 2012, confirmando a intenção de cultivar um projeto a longo prazo - caso o Brasil conquiste a vaga para a Olimpíada de Londres, encerrará um período de 16 anos longe dos Jogos. Além disso, haveria a possibilidade de prorrogação até a Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, competição em que a equipe já tem vaga assegurada por ser sede.

Na última terça o técnico conversou com Vanderlei e Brunoro em Buenos Aires. Lá, toda a programação entre o Mundial da Turquia, que será realizado em agosto deste ano, até o Pré-Olímpico de 2011 foi apresentada. Em entrevistas, Magnano afirmou ter ficado empolgado com o desafio, garantiu que viria ao Brasil já em fevereiro e não descartou a possibilidade de morar no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.