AFP
AFP

China é escolhida sede do Mundial Masculino de Basquete de 2019

País asiático sediará pela primeira vez a competição

Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2015 | 10h41

A China venceu a disputa asiática contra as Filipinas e será a sede da próxima edição do Mundial Masculino de Basquete, que será realizado em 2019. A competição será a primeira a contar com 32 equipes, selecionadas a partir de uma eliminatória que vai durar dois anos, também iniciativa inédita.

Para fugir da sombra da Copa do Mundo de futebol, a Federação Internacional de Basquete (Fiba) resolveu realizar seus Mundiais em anos ímpares, sempre às vésperas dos Jogos Olímpios. Assim, a edição que deveria ser organizada em 2018 foi adiada para o ano seguinte.

Será a primeira vez que a China vai sediar um Mundial. A competição volta à Ásia após ter sido realizado sua edição de 2016 no Japão e a de 1978 nas Filipinas. De acordo com o presidente da Fiba, o argentino Horacio Muratore, a entidade quer "iniciar uma nova era no basquete internacional, com mais países participantes, mais torcedores e imprensa de todo o mundo seguindo a competição."

As Américas terão direito a sete vagas no próximo Mundial, o que deve beneficiar o Brasil, que não conseguiu se classificar para a edição de 2014 e precisou "comprar" um convite. O não pagamento desta dívida é o argumento da Fiba para, até agora, não ter decidido se dará um convite ao país-sede na próxima Olimpíada. A decisão pode ser anunciada neste sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteMundial de Basquete

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.