Chuí comanda o Franca contra o COC

Deixar de ser jogador em menos de uma semana para tornar-se técnico de uma das equipes masculinas de basquete mais tradicionais do País e ainda reverter a péssima campanha do time é o novo desafio do ala Chuí, de 40 anos. Nesta sexta-feira, às 20h30, ele estréia no banco do Franca, que recebe o COC/Ribeirão Preto, pelo Campeonato Nacional. Os donos da casa contam com uma péssima campanha: estão na 15ª posição entre 16 times - venceram dois jogos e perderam seis partidas. Insatisfeita, a diretoria dispensou o técnico Daniel Wattfy e convocou Chuí para o cargo . "A equipe está apreensiva para o jogo. A mudança foi muito grande, habitualmente, não ocorrem coisas assim no basquete - nunca vi isso no Franca. Além disso, Ribeirão e Franca é um clássico regional." O novo técnico sabe que o COC é um dos favoritos ao título. "Nos últimos dois jogos contra eles estávamos desfalcados, e ainda assim a partida foi decidida apenas nas últimas bolas - infelizmente perdemos. O COC tem um ótimo conjunto, confiança e é um dos favoritos. Mas Franca é Franca." Chuí mostra todo o respeito pelo técnico do COC, Lula Ferreira, que foi seu treinador no Palmeiras. "Não vou ter um adversário ali. Trabalhei com ele no Palmeiras e é uma pessoa pela qual tenho muito carinho, principalmente porque fui escolhido o melhor jogador de São Paulo quando fui treinado pelo Lula", elogia o novato, que ainda brinca. "Depois do jogo vou lá pedir emprestados os livros que ele lê e perguntar como é que ele estuda." Outra incógnita é saber se Chuí deixará de jogar basquete após esta temporada. Ele só poderá dizer depois do primeiro jogo como treinador. "Por enquanto estou gostando, mas não senti a emoção de ser técnico ainda. Acho que não volto. Jogo basquete há 22 anos, 14 deles no Franca. Sei que sem mim na quadra o pessoal deve perder um pouco da referência, mas vou procurar mostrar que ali fora darei o mesmo apoio de sempre. Já temos jogadores como Fernando, Macetão e Edu que fazem o que faço." Além de Lula, Chuí encontrará velhos companheiros de equipe que estarão do outro lado da quadra, como Cadum, auxiliar técnico do COC, e Edvar Junior, com quem jogou no Palmeiras. "Tive prazer de ser técnico do Chuí e sempre achei que ele poderia ser um bom treinador porque tinha uma visão de jogo incrível. Desejo toda a sorte do mundo na nova carreira dele, menos na estréia", disse Lula. Cadum, que jogou ao lado de Chuí na seleção brasileira, opinou. "Apesar de a situação ser bem difícil no Franca, sabemos que o jogo contra eles será bem difícil por dois motivos: existe uma grande rivalidade regional e todo time que muda de técnico dá uma reagida." Edvar Júnior concluiu. "O Chuí tem tudo para alavancar o time pelo que sabe de basquete." A rodada terá ainda seis partidas: Campos x Corinthians, Ajax x URB, Tijuca x Paulistano, Minas x Araraquara, Uberlândia x Londrina e Ulbra x Liberty.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.