Chuí tenta segunda vitória para Franca

Marco Aurélio Pegolo, o Chuí, deixava de jogar há dez meses no tradicional time de basquete de Franca para comandar o grupo no Campeonato Nacional, aos 40 anos. Quando assumiu o cargo de técnico, sua equipe estava na 15.ª posição - terminou em nono. Em pouco tempo, o ex-jogador mostrou competência para a função. Agora colocou o time entre os quatro semifinalistas do Campeonato Paulista, saiu na frente no playoff, e neste sábado, às 18h, o Franca/Petrocrystal faz o segundo jogo da série melhor-de-cinco contra o Winner Limeira, na casa do adversário.No primeiro jogo, quarta-feira, o Franca, jogando em seu ginásio, venceu Limeira por um ponto de vantagem - 73 a 72 - abrindo 1 a 0 no playoff. O terceiro jogo da série será domingo, às 20h30, novamente em Limeira. Apesar de curta, a carreira de Chuí já tem momentos marcantes. "A pior parte foi o começo. Não tinha patrocínio, não tinha nada. A melhor fase é agora." A última vez que Franca venceu o Estadual foi em 2000, com o técnico atuando como ala. Apesar do envolvimento e comprometimento com os dois grupos, o que jogava e o que dirige, Chuí evita fazer comparações. "É impossível, são dois grupos totalmente diferentes. Aquele era um time que jogava junto há mais tempo. O que eu comando está jogando desde agosto."O ex-jogador mantém a humildade quando fala da evolução do grupo até chegar à semifinal. "Sou novo nesse ramo de técnico, não posso falar como ou com o quê contribuí para isso. Na verdade, acho que são os próprios jogadores que fazem o resultado que merecem. O pessoal está muito empenhado nessa busca do campeonato", declara.Para vencer a equipe do técnico Luís Zanon, outro ex-jogador no comando, Chuí pede o máximo de empenho ao seu elenco. "Vamos ter de fazer tudo para ganhar. O time está bastante feliz porque conseguiu chegar até esta fase do Paulista, mas sabemos que vamos enfrentar um adversário forte."A chave do jogo, segundo o treinador, é a defesa. "O conjunto de Limeira já está junto há uns dois anos, por isso são entrosados e muito fortes. Eles têm um bom aproveitamento de ataque, por isso vamos ter de fazer um trabalho forte de defesa", analisa.Para Zanon, do Limeira, o primeiro jogo está apagado e a cabeça de todos os jogadores já focada no próximo encontro. "Franca fez a sua parte, venceu em casa e nós temos que fazer a nossa", afirma Zanon, que não terá o norte-americano Taylor, contundido.No outro playoff do Paulista o COC/Ribeirão joga em casa a terceira partida contra o Paulistano/Dix Amico/UniFMU, às 18 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.