COC não quer cair na armadilha da Uniara

Depois da primeira vitória no playoff semifinal do Campeonato Paulista de Basquete Masculino, sobre a Uniara/Fundesport, ontem, em Araraquara, por 94 a 83, o COC/Ribeirão terá que evitar que o lado emocional prejudique a sua atuação no segundo confronto, amanhã, às 20h30, no Ginásio Cava do Bosque, em Ribeirão Preto, com transmissão pela ESPN Brasil. "Não podemos cair na armadilha, achar que a situação é confortável, pois isso é o primeiro passo para se dar mal", avisa o técnico do COC, Aluísio Ferreira, o Lula. "Vamos esquecer que vencemos a primeira partida e jogar..." Lula gostou do desempenho do time no primeiro jogo, apesar da falta de ritmo devido à parada para as festas do final de ano, menos num quesito: o rebote defensivo. De 42 rebotes, a equipe ribeirão-pretana pegou 25, mas perdeu 17. "Uma boa média é pegar 80% dos rebotes, então cedemos oito bolas a mais do normal, o que significa 16 pontos", destaca Lula. Por isso, hoje, o técnico editou uma fita de 40 minutos, com as principais observações anotadas, para mostrar aos jogadores. "Isso é importante, pois eles observam as jogadas e até as estatísticas e características do adversário", diz Lula, que faz pessoalmente a edição da fita e do relatório. O grupo do COC sabe que a Uniara tentará reverter a situação de todas as maneiras, mas o time de Araraquara, dirigido por Antonio José Paterniani, o Tom Zé, não consegue esconder a rivalidade e o desejo de superar o adversário. Isso não acontece, em playoff, desde janeiro de 2002, na decisão estadual. "Nunca podemos entrar tranqüilos numa partida, mesmo em vantagem, apesar de que o COC mostrou, no primeiro jogo, que é um time vencedor e não se abala com a torcida adversária", comenta Lula. Agora, em casa, o time terá mais motivação. O time-base do COC será formado por Nézinho, Arthur, Renato, Márcio e Tiagão. Chico e Ricardo estão de fora. Pela Uniara, Tom Zé tentará motivar a equipe a esquecer outra derrota para o rival. A última vitória em playoff contra o COC foi justamente em Ribeirão Preto, mas no outro ginásio. Na decisão do ano passado, o COC tornou-se bicampeão invicto. Uma das dificuldades da Uniara é equilibrar a armação de jogadas, já que o ala Rodrigo atua improvisado na função. A Uniara deve começar o jogo com Rodrigo, Jorginho, Lucas, Pipoka e Luís Fernando. A terceira partida será realizada na sexta-feira (09), em Ribeirão.

Agencia Estado,

06 de janeiro de 2004 | 16h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.