Com ídolos do passado em quadra, Vasco faz festa para lançar time de basquete

O basquete está oficialmente de volta ao Vasco. Um dos mais tradicionais e vitoriosos clubes da modalidade no Brasil, principalmente na década de 90 e começo dos anos 2000, os cariocas lançaram o time para 2016 com uma bela festa na noite da última quinta-feira, no que também marcou a reabertura do ginásio poliesportivo de São Januário. E os protagonistas da noite só poderiam mesmo ser os ídolos de uma época tão vitoriosa.

Estadão Conteúdo

15 de janeiro de 2016 | 12h58

O Vasco organizou um amistoso contra Franca, com dois quartos de apenas 10 minutos. No primeiro, grandes nomes do basquete vascaíno e brasileiro no fim da década de 90, Helinho, Demétrius, Rogério e o dominicano José Vargas, além de Mingão, Brasília, Bira, Boleta e Manteiga estiveram em quadra. No banco, o comandante daquela geração, Hélio Rubens. Já no segundo quarto, o novo time cruzmaltino entrou em cena. No fim, vitória carioca por 58 a 44.

"É uma emoção e uma alegria muito grande. A expectativa é que o Vasco se reencontre novamente, pela tradição que tem e pela importância que o clube tem em qualquer modalidade esportiva. Estou ai às ordens, para colaborar com o que for possível. Tenho convicção de que o que eu estou vendo aqui é um estado de espírito do grupo, dos diretores, do próprio presidente, que evidencia que a possibilidade de realização, de sucesso é muito grande. Estou à disposição para o que precisar, porque o Vasco faz parte da minha história e da minha vida", disse Hélio Rubens.

Foi sob o comando do treinador e com estas estrelas, além de outros nomes de sucesso como Charles Byrd e Sandro Varejão, que o Vasco viveu sua época mais vitoriosa no basquete. Foi bicampeão brasileiro, em 2000 e 2001, e também venceu duas vezes a Liga Sul-Americana, em 1999 e 2000, e o Sul-Americano de Clubes, em 1998 e 1999. Também foi vice-campeão mundial em 1999, perdendo a decisão para o San Antonio Spurs de Tim Duncan e David Robinson.

"Ficamos na memória dos vascaíno e isso ninguém tira da gente, está no nosso coração. Desde que chegamos no clube, sentimos isso. São poucos clubes que valorizam seus antigos jogadores, é muito importante. Tenho a expectativa grande em ver o Vasco de novo no topo. É fundamental uma equipe como o Vasco retomar sua força. Pelo fato do basquete ter sido um esporte que deu muitas alegrias ao vascaíno, é muito legal tê-lo de volta e estou na torcida para o retorno com um grande time", comentou Demétrius.

A nova geração vascaína ainda tem sonhos mais modestos e neste ano disputará a Liga Ouro do NBB, uma espécie de segunda divisão da liga. Ainda assim, o clube não poupou esforços e contratou reforços experientes, como os pivôs Bruno Fiorotto e William Drudi e os armadores Hélio e Ricardinho. O técnico é Christiano Medeiros.

"Cada dia está sendo uma emoção mais forte. Primeiro, ter sido escolhido para a remontagem da equipe, depois de tantos anos fora de um campeonato a nível nacional. Agradeço a confiança depositada em mim para este projeto. Estes anos todos de casa, cada dia vivemos uma coisa diferente aqui dentro e agora foi mais um dia de emoção. Quando entrei na quadra e percebi que estava lotada, me fez lembrar dos tempos áureos", disse o treinador.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.