Ezra Shaw/AFP
Ezra Shaw/AFP

Warriors arrasa Cavaliers e sai na frente na final da NBA

Com 38 pontos, Kevin Durant comanda vitória da equipe de Oakland em casa: 113 a 91

Estadão Conteúdo

02 de junho de 2017 | 09h02

O Golden State Warriors saiu na frente na decisão da temporada 2016/2017 da NBA. No tira-teima do confronto com o Cleveland Cavaliers, quem fez a diferença foi Kevin Durant. Contratado no ano passado para reforçar o já estrelado elenco californiano, o astro correspondeu às expectativas e foi o grande destaque do triunfo por 113 a 91 no Jogo 1 da final, na noite de quinta-feira, em Oakland.

Foi o primeiro capítulo da terceira decisão consecutiva entre as equipes. Diante de tantos jogos entre si, os dois lados sabiam o que precisavam fazer para vencer na quinta. Por isso, o Cavaliers tratou de tentar frear os arremessos de três do Warriors, que, por sua vez, tinha a ingrata tarefa de parar LeBron James.

Só que aí, Durant fez a diferença. Contratado para esta temporada justamente para ser o diferencial do Warriors, o ala dominou o Jogo 1. Diante da insistência do Cavaliers de focar a marcação nos arremessos de fora, aproveitou os espaços para acertar chutes de meia distância e infiltrações. Assim, foi o cestinha da partida, com 38 pontos, e distribuiu oito assistências, além de ter pegado oito rebotes.

O Cavaliers resistiu enquanto pôde graças ao primeiro tempo inspirado de suas duas principais estrelas: LeBron James e Kyrie Irving. Mas quando o Warriors acertou a marcação sobre elas, faltou elenco aos visitantes, algo que sobra no time californiano. Enquanto apenas sete jogadores do Cavaliers pontuaram na partida, 12 atletas do Warriors anotaram pontos.

No início, no entanto, a vantagem traduzida no placar final não era tão evidente. O time da casa até parecia mais confortável, mas não conseguia se desgarrar no placar. Se a troca de passes fazia a diferença para o Warriors no ataque, do outro lado LeBron e Kyrie respondiam com grandes jogadas individuais.

Só que diante do Warriors, qualquer desatenção pode ser fatal, tamanha a facilidade da equipe de pontuar. E foi isso que aconteceu na volta para o segundo tempo. Quatro perdas de bolas consecutivas do Cavaliers nos primeiros minutos - foram 20 no total - permitiram ao adversário fazer uma sequência de 13 a 0 e abrir 21 pontos de vantagem. A partir daí, o equilíbrio acabou.

Culpa também da marcação do time da casa, que focou em LeBron e Kyrie e deu mais espaço para os coadjuvantes do Cavaliers arremessarem. Com Kevin Love em noite pouco inspirada e sem outras peças com tanta capacidade para pontuar, os visitantes ficaram sem resposta e viram o Warriors comemorar a primeira vitória na decisão.

Se Durant foi o cestinha, os anfitriões ainda contaram com 28 pontos - 18 em bolas de três - e 10 assistências de Stephen Curry. Draymond Green cumpriu seu papel defensivo e ainda anotou nove pontos e 11 rebotes. Estas atuações ofuscaram o péssimo desempenho de Klay Thompson, autor de somente seis pontos, com três arremessos convertidos em 16 tentados.

Pelo Cavaliers, ficou claro que não será possível depender apenas do brilho de LeBron e Kyrie. O ala terminou com 28 pontos, 15 rebotes e oito assistências, enquanto o armador marcou 24 pontos. Love contribuiu com 15 pontos e 21 rebotes, mas apareceu ofensivamente somente no segundo tempo, quando o jogo já estava perdido.

Aos torcedores de Cleveland, resta se espelhar na temporada passada, quando o Cavaliers também foi atropelado pelo Warriors nas primeiras partidas e virou a decisão após estar perdendo por 3 a 1. Desta vez, no entanto, do outro lado tem um Kevin Durant inspirado e em busca de seu primeiro título.

O segundo capítulo desta decisão acontecerá neste domingo, novamente em Oakland, às 21 horas (de Brasília). Depois, a série vai para Cleveland para os Jogos 3 e 4, na quarta e na sexta da semana que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.