EFE/Sebastião Moreira
EFE/Sebastião Moreira

Hettsheimer garante vitória do Bauru sobre o Real Madrid

Equipe brasileira ganha 1ª final do mundial interclubes: 91 a 90

O Estado de S. Paulo

25 de setembro de 2015 | 23h13

O Bauru conquistou um importante resultado para tentar ser campeão mundial interclubes de basquete. Nesta sexta-feira, o time recebeu no ginásio do Ibirapuera o Real Madrid pelo primeiro jogo da Copa Intercontinental e ganhou pela vantagem mínima, por 91 a 90. Agora, no segundo duelo, basta uma nova vitória para ser campeão - se os espanhóis vencerem, o saldo de pontos fará a diferença.

“A gente precisa das duas vitórias, e conseguimos a primeira. Estivemos 17 pontos atrás, mas tivemos tranquilidade e personalidade para virar. Conseguimos mudar atitude e saímos com a vitória”, festejou o ala Léo Meindl, autor de 15 pontos. “Agora o segredo é manter o foco. Temos de defender bem, aí não tem erro.”

O grande nome da partida foi Rafael Hettsheimer, que marcou 27 pontos, a maioria em bolas de três pontos. Neste quesito, o Bauru brilhou com 16 acertos em 33 arremessos e foi graças à boa pontaria na segunda metade da partida que o time brasileiro se recuperou no duelo e virou o jogo após estar 17 pontos atrás. “Conseguimos fazer um jogo perfeito e conquistamos a vitória em cima de uma forte equipe”, lembrou Hettsheimer, que já atuou no Real Madrid quando jogava no basquete europeu.

Para o técnico Guerrinha, o resultado foi muito importante. “Nós tivemos algumas dúvidas no ataque, que eles aproveitaram. Mas depois tivemos solidez de continuar acreditando no jogo. O Rafael teve aproveitamento excelente na bola de três pontos e digo sempre que basquete não é só defender, temos de atacar também. Quando tivemos dúvida no passe, foi fatal. É muito dinâmico, ainda mais nesse alto nível”, explicou.

Quem também festejou bastante o resultado foi o armador Ricardo Fischer, que coroou a boa exibição ao fazer a última cesta, que garantiu a vitória. “Minha família estava aqui, foi emocionante, ainda mais fechar o jogo com uma bandeja. Tivemos paciência para trabalhar ponto a ponto e decidir no final”, concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Basquete, Bauru, Real Madrid

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.