Reprodução/CBC
Reprodução/CBC

Comitê Brasileiro de Clubes rebate CBB e fala em 'reavaliar a manutenção das tratativas' para 2021

Presidente Jair Alfredo Pereira diz que tem autonomia para escolher projetos e que Confederação Brasileira de Basketball pode ela mesma organizar torneios de base 

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2020 | 12h52

O Comitê Brasileiro de Clubes divulgou comunicado para rebater o posicionamento da Confederação Brasileira de Basketball após o CBC fechar um acordo com a Liga Nacional de Basquete, informação divulgada com exclusividade pelo Estadão.

A nota foi assinada pelo presidente da entidade, Jair Alfredo Pereira, que afirmou não entender o posicionamento do presidente da CBB, Guy Peixoto Junior, que tratou como 'lamentável' o fato do CBC investir na LNB. Ele cita reuniões com secretário-geral, Carlos Fontenelle, e que o CBC vai continuar investindo nas categorias de base do basquete. 

Jair Alfredo Pereira disse ainda que o CBC tem "autonomia para desenvolver sua estratégia de investimento no esporte, que é norteada por um Programa de Formação de Atletas, isto é, ao CBC cabe definir onde e como aplicar seus recursos, sem qualquer interferência."

Além disso, segundo ele, a CBB pode continuar organizando o número que desejar de torneios de base, sendo que o CBC escolheu apoiar alguns deles. A entidade ainda reafirma o desejo de fechar acordo com a Liga de Basquete Feminino. 

"Temos convicção que o trabalho que está sendo realizado contribuirá sobremaneira com a evolução dos esportes olímpicos no país, ampliando a base e formando cada vez mais ídolos que inspiram crianças e jovens a seguir seu caminho no esporte", escreveu Jair. 

"Os nossos planos para o basquete brasileiro são amplos e arrojados. Queremos acreditar que esse posicionamento da CBB foi apenas um equívoco por não conhecer integralmente a proposta que contempla as categorias de base, que de forma alguma serão desassistidas. É antes de tudo uma proposta segura e responsável, que poderá ampliar e qualificar o desenvolvimento do basquete nas próximas décadas", continuou.

Em seguida, Jair Alfredo Pereira colocou ser necessário uma reavaliação da CBB em relação ao acordo que está sendo negociado com o CBC. "Em que pese todo o respeito aos membros da entidade, caberá à CBB, que possui autonomia de gestão sobre o basquete brasileiro e, assim, poderá realizar as competições com ou sem o apoio do CBC, reavaliar a manutenção das tratativas até então estabelecidas para o ano de 2021, pois na visão deste Comitê não é possível levar a frente uma parceria com entidade que qualifica como lamentável as decisões tomadas de forma conjunta, negociada e amigável, em prol do desenvolvimento do basquete nacional", encerrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.