Adam Hunger/Reuters
Adam Hunger/Reuters

Dono dos Knicks doa sangue para pesquisas após se curar do coronavírus

James Dolan se recupera da covid-19 três semanas após teste positivo e isolamento social completo

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2020 | 12h01

Depois de testar positivo para o novo coronavírus, o dono do New York Knicks, James Dolan, está recuperado da doença que atinge o mundo todo e está fazendo doações de sangue para diversos testes médicos com o objetivo de combater a pandemia.

De acordo com reportagem na ESPN americana, o segundo exame de Dolan, feito aproximadamente três semanas após o teste positivo para covid-19, apontou então negativo para o vírus. O dirigente então se registrou em diversos hospitais de New York como doador de plasma e desde então tem disponibilizado seu sangue para pesquisas do Centro Médico da cidade e também para a área médica da Universidade de Duke.

Os testes de anticorpos são amplamente considerados como uma chave para o desenvolvimento de um melhor entendimento do coronavírus e, talvez, um tratamento. A iniciativa por parte do dono da equipe da NBA foi primeiramente publicada pelo jornal New York Post.

Em um comunicado oficial dos Knicks no dia 28 de março, a equipe divulgou que Dolan, de 64 anos, estava com "pouco ou nenhum sintoma" e fez o auto-isolamento. Durante este período em casa e sem contato social, o dirigente continuou com suas funções na franquia.

A cidade de Nova York é um dos epicentros da covid-19 nos Estados Unidos. Esta semana os números chegaram a bater mais de 138 mil casos de coronavírus e quase 10 mil mortes confirmadas, levando em conta somente a cidade em questão, de acordo com oficiais do governo. O país soma mais de 800 mil casos em seu território.

A NBA está paralisada desde a metade de março e o Madison Square Garden - casa dos Knicks, do New York Rangers e usado para diversos eventos musicais - está fechado desde então. James Dolan começou uma iniciativa de fundo de ajuda a empregados durante a pandemia doando inicialmente cerca de R$ 5,6 milhões.

Paralelo a isso, o dirigente disse que os funcionários da arena estavam dispensados até o dia 3 de maio. Durante esta semana, a direção enviou um comunicado interno estendendo a paralisação até o dia 31 do mesmo mês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.