Draft da NBA terá dois brasileiros

As inscrições para o draft da NBA terminam domingo, mas o Brasil já tem confirmados dois jogadores na lista dos candidatos a jogar na liga norte-americana de basquete na próxima temporada. Depois do pivô Nenê, que abandonou o Vasco e está treinando em Cleveland, hoje foi confirmado que o ala Jefferson Sobral, do Ribeirão/COC, também está na lista.O draft é a forma como os times da liga escolhem novos jogadores a cada ano. Os jogadores ficam disponíveis e os clubes escolhem aqueles que são de seu interesse. As equipes com piores campanhas na temporada anterior têm a preferência na escolha. O draft de 2002 está marcado para o dia 26."Uns olheiros já tinham me visto jogando aqui no Brasil. Acho que existe alguma chance", disse Jefferson, um dos destaques do time de Ribeirão, já classificado para os playoffs do Nacional Masculino.A inscrição de Jefferson, porém, não é definitiva. Cada jogador só pode entrar na lista uma vez na carreira. "Ele pode sair da lista até 24 horas antes do draft", explica Marcelo Maffia, empresário do jogador. Caso Jefferson não tenha chance de ser escolhido por alguma equipe, seu nome deverá ser retirado para que ele possa voltar a tentar o draft em 2003.Apesar disso, Marcelo está otimista. No ano passado, Jefferson chegou a ser incluído na lista, mas foi retirado nos últimos dias por não ter chance de ser escolhido. "No ano passado, na época em que ele precisava aparecer, ele ficou contundido. Aí, não houve como mostrar umas fitas dele jogando. Estou otimista. O jeito dele é carismático e os norte-americanos que já viram ele jogar gostaram muito", disse ele. Jefferson já ganhou elogios até de David Stern, chefão da NBA, que disse que ele tinha características de um jogador da liga.O jogador concorda. "O perfil dos jogadores mudou de uns anos para cá. Nós estamos assistindo mais jogos da NBA e jogando cada vez mais no estilo deles. Com mais força, rapidez e jogadas diferentes para chamar a atenção do público. É o que eu gosto de fazer."Com 2,02m e 91 quilos, Jefferson admite que tem deficiência na parte física, mas nos próximos meses vai trabalhar para superar as falhas. "O ideal seria eu ganhar mais massa muscular e chegar aos 95 kg. Quero fazer um trabalho certo, pois não posso perder minha agilidade", diz ele, fã de Kobe Bryant.Jefferson diz que não repetiria a estratégia de Nenê, que abandonou o Vasco após meses de salários atrasados e foi para os Estados Unidos treinar: "Eu ficaria até o final do Nacional. Mas ele está fazendo um trabalho bom lá em Cleveland, com um treinamento específico. Com certeza, o jogo dele vai melhorar muito mais do que se ele tivesse ficado no Brasil."O terceiro brasileiro que tenta vaga na NBA, Marcelinho, ala do Fluminense, deve viajar para os Estados Unidos no começo de junho, após o fim da participação de seu time no Nacional. Como já passou da idade limite para o draft (23 anos), ele participará de training camps, peneiras que as equipes fazem entre as temporadas. Um deles, no Portland, deve ser realizado nas primeiras semanas de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.