Thomas B. Shea/USA Today Sports
Thomas B. Shea/USA Today Sports

Dwight Howard faz treino estratégico para melhorar lances livres

Movimento de 'memória muscular' pretende aumentar desempenho da última temporada, a pior da carreira

O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2016 | 11h27

O pivô Dwight Howard é conhecido por ser dominante na parte física em seu jogo dentro do garrafão, mas também por ter um fraco desempenho nos arremessos de lances livres. Iniciando os seus treinamentos para a pré-temporada da NBA, o atleta, que disputará sua primeira temporada pela nova equipe, o Atlanta Hawks, decidiu fazer um novo regime de treinamentos para superar a maior deficiência técnica do seu basquete.

Howard, que na última temporada fez uma clínica particular com o lendário pivô Hakeem Olajuwon para melhorar o jogo ofensivo e o uso do corpo, iniciou uma sequência de treinamentos com base em uma distância próxima que a cesta tem para a linha de lance livre - no caso, ele tem feito arremessos de vários pontos da quadra a 5,79 metros da tabela.

A ideia do treino específico é criar 'memória muscular': o corpo do atleta ficaria melhor condicionado a acertar a cesta se repetir os movimentos de arremesso sempre de uma mesma distância.

Os lances livres sempre foram uma dor de cabeça para Howard - e as equipes que o contrataram. Na última temporada da liga de basquete norte-americana, onde atuou pelo Houston Rockets, ele obteve a pior média de toda a carreira no quesito, com 48,9% de acertos.

 

 

Os números ruins durante toda a vida profissional do pivô fazem com que os adversários de Howard utilizem a estratégia de 'Hack-a-Shaq', que consiste em fazer faltas nos jogadores de mira ruim na linha de lance livre logo no início dos ataques das equipes, evitando, em tese, que elas pontuem com outros atletas.

A jogada tem esse nome por ter ficado popular com o hoje comentarista Shaquille O'Neal, de desempenho igualmente ruim pelas várias equipes onde passou. Outros pivôs da NBA, como DeAndre Jordan, do Los Angeles Clippers, e Andre Drummond, do Detroit Pistons, também sofrem do mesmo mal.

Aos 30 anos, Howard assinou por três temporadas com o Atlanta Hawks, após passar três anos como jogador do Houston Rockets. Ele passou, ainda, uma temporada no Los Angeles Lakers, de onde saiu brigado com Kobe Bryant, e iniciou sua trajetória na liga no Orlando Magic, em 2004, quando teve a melhor média da carreira nos lances livres, com 67,1% de acertos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.