Alan Diaz|AP
Alan Diaz|AP

Dwyane Wade recebe proposta de R$ 93 milhões para defender time chinês

Veterano está sem contrato e poderia assinar vínculo de três anos com o Zhejiang Golden Bulls

EFE

25 de julho de 2018 | 07h39

O Zhejiang Golden Bulls, clube da elite do basquete da China, ofereceu US$ 25 milhões (R$ 93 milhões) ao ala-armador americano Dwyane Wade pela assinatura de um contrato por três temporadas, informou nesta quarta-feira a agência oficial de notícias Xinhua.

Wade, astro do Miami Heat e que está sem equipe após o término da temporada 2017-2018 da NBA, ainda não confirmou se aceitará a oferta do clube chinês, que na última edição do campeonato nacional terminou na 11ª colocação, ficando fora dos playoffs.

"Sua contratação, sem dúvida, beneficiaria a equipe, vale a pena o que oferecemos a ele no contrato", disse o diretor da equipe, Fang Jun, ao portal de notícias Netease.

O jogador, de 36 anos, que venceu três títulos da NBA, teve no passado uma ligação com o país asiático, já que assinou um contrato publicitário com a principal marca esportiva da China, Li Ning.

Além disso, Wade foi um dos astros da seleção americana que conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim, há dez anos.

Se Wade aceitar a oferta, algo que segundo a imprensa chinesa pode acontecer nesta quarta-feira, 25,  se transformaria em um das maiores contratações da história do basquete, e seria o jogador mais bem pago da China, acima de Andray Blatche, ex-Washington Wizards e Brooklyn Nets, atualmente defendendo o Xinjiang Flying Tigers.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.