Efeito Jordan causa impacto econômico

Michael Jordan não personifica apenas uma metonímia, aquela figura de linguagem que se usa para expressar com o nome de alguém o quanto se é bom em algo. O Pelé do basquete (exemplo de metonímia) é capaz de transformar US$ 1 milhão - o salário anual que o astro receberá para atuar pelo Washington Wizards na próxima temporada da NBA - em um valor simbólico, por assim dizer. O tal milhão, que será doado por Jordan a pessoas ligadas às vítimas dos atentados terroristas do dia 11 nos Estados Unidos, é uma parcela ínfima do dinheiro que será gerado em função de sua volta às quadras. O efeito Jordan vinha sendo percebido antes mesmo do anúncio oficial da suspensão da sua aposentadoria - cinco meses antes de completar 39 anos -, que sacudiu de vez todos os negócios ligados ao mercado da NBA, na última terça-feira. Uma das reações foi o olhar instantâneo para a tabela da próxima temporada: quando, onde e contra quem vai jogar o time da capital norte-americana, o Washington Wizards. Planejado com meses de antecedência, o roteiro já previa o primeiro jogo do time de Jordan em 11 de outubro, contra os Pistons, em Detroit.Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.