Martin Mejia/AP
Martin Mejia/AP

Em jogo histórico, Brasil supera Argentina no Pré-Olímpico de basquete

Seleção brasileira ganha por 73 a 71 do maior rival, que jogou com a torcida a seu favor

AE, Agência Estado

07 de setembro de 2011 | 19h50

  MAR DEL PLATA - Um adversário fortíssimo e toda uma torcida contra. Nada atrapalhou a vitória histórica do Brasil sobre a Argentina, por 73 a 71, nesta quarta-feira, em Mar del Plata, em jogo válido pelo Pré-Olímpico Masculino de Basquete. Se vencer Porto Rico nesta quinta-feira, o time brasileiro avança às semifinais com a melhor campanha da competição. Dessa forma, pega sábado um adversário teoricamente mais fraco e joga em busca da vaga olímpica (Londres/2012) que não vem desde 1996.

Exatamente um ano atrás, o Brasil havia perdido para a Argentina nas oitavas de final do Mundial da Turquia, em Istambul, resultado que eliminou a seleção da briga pelo título. Na ocasião, o grande nome do jogo foi o argentino Luis Scola, que fez 37 pontos. Nesta noite, o mesmo Scola até que foi o cestinha da partida, com 24 pontos, mas não conseguiu ser decisivo para a Argentina.

Muito melhor jogou o brasileiro Rafael Hettsheimer, dono de 19 pontos - sempre em momentos decisivos. Além disso, a defesa brasileira mostrou amadurecimento, marcou muito bem as principais jogadas argentinas e foi soberana na maior parte da partida.

Logo no primeiro toque na bola, Andres Nocioni, um dos grandes nomes da Argentina, tropeçou em Tiago Splitter ao pisar no chão após bola ao alto, torceu o tornozelo e deixou a quadra para não mais voltar. Com facilidade no garrafão, tudo que o Brasil arriscava caía. Tanto que a seleção brasileira abriu 14 a 8 no primeiro quarto. Quando começou a errar demais, passou cinco minutos sem pontuar, levou o empate, mas conseguiu fechar o quarto com vantagem de 19 a 17.

ERROS

No segundo quarto, tudo deu errado - felizmente para os dois times. O Brasil tentou nove arremessos de três e errou todos. Splitter deixou a quadra com cinco arremessos de quadra, todos errados. Mas Luis Scola também não conseguia jogar bem, errando quase tudo que tentava. Mesmo assim, a Argentina fechou o primeiro tempo com vantagem de 28 x 27.

Na volta do intervalo, o Brasil voltou mais consciente. Parou de arriscar demais da linha dos três e passou a tentar os chutes de média distância. Passou à frente do marcador e não deixou mais a Argentina encostar. Se Scola melhorou seu aproveitamento, Rafael Hettsheimer respondeu à altura, com aproveitamento de nove acertos em onze tentativas de quadra. Foi ele também que carregou Scola de faltas, o que eliminou o argentino dos minutos finais do jogo.

Nos últimos segundos, a Argentina começou a acertar tudo que tentava, tirou a diferença, mas o Brasil soube bater bola, ser eficiente no ataque e vencer por dois pontos de diferença. Agora, Brasil e Argentina têm uma derrota cada na competição. Na última rodada, jogam Brasil x Porto Rico; Argentina x República Dominicana. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.