AP
AP

Esposa doente faz técnico dos Timberwolves se aposentar

Rick Adelman, um dos grandes da história da NBA, deixa a equipe de Minnesota depois de três temporadas

Agência Estado

21 de abril de 2014 | 12h48

MINNEAPOLIS - Chegou ao fim nesta segunda-feira a trajetória de um dos maiores técnicos da NBA nos últimos anos. Rick Adelman, um dos oito treinadores da história da liga que alcançaram mil vitórias na carreira, anunciou sua aposentadoria em entrevista coletiva. Ele deixa o Minnesota Timberwolves, que comandou nas últimas três temporadas, para cuidar de sua esposa, Mary Kate, que está doente.

"Em nome do Minnesota Timberwolves, eu gostaria de agradecer ao Rick por tudo que ele fez pela organização", declarou o dono da franquia, Glen Taylor. "Sob a liderança de Rick, nosso time evoluiu a cada uma das últimas três temporadas. Foi um prazer conhecer Rick e sua esposa Mary Kay, e eu desejo o melhor a ele nesta aposentadoria."

Adelman já havia cogitado se aposentar antes do início da última temporada, justamente pela doença - não especificada - de Mary Kate, mas foi convencido do contrário. No entanto, como o problema de saúde de sua esposa persistiu, o treinador decidiu abandonar oficialmente a carreira.

O agora ex-técnico seguirá ligado aos Timberwolves como consultor. "Eu acho que é hora de dar um passo para trás e deixar que alguém assuma meu lugar", declarou Adelman. "Acho que o sucesso dessa equipe não está tão longe. Temos muitas grandes peças. Queria ter feito mais pelo time, mas me diverti de verdade aqui."

O Minnesota Timberwolves, no entanto, foi apenas o último trabalho da vitoriosa trajetória de Adelman. Se nunca foi campeão da NBA, o treinador ficou conhecido pelo seu estilo ofensivo e foi responsável por montar equipes memoráveis, como o Portland Trail Blazers finalista de 1991/1992 e o Sacramento Kings, que encantou a liga no início dos anos 2000 com Vlad Divac, Peja Stojakovic e Chris Webber. Ele ainda comandou o Golden State Warriors e o Houston Rockets ao longo de sua carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.