EUA sofrem para montar o Dream Team

A pouco mais de três meses dos Jogos de Atenas, o time masculino de basquete que defenderá o título conquistado pelos Estados Unidos em Sydney mais parece o estádio Olímpico: incompleto e sem data para estar pronto. A maioria dos nove jogadores da NBA que assinou contrato para integrar a seleção norte-americana está contundida ou tem problemas pessoais.Por enquanto, o Comitê Americano de Basquete não sabe como será a seleção que começará os treinos em meados de julho.O presidente do Comitê, Stu Jackson, está confiante de que Mike Bibby, Allen Iverson, Tim Duncan, Tracy McGrady e Jermaine O?Neal aceitarão a convocação. Deixa claro, porém, que não há garantias. Dos que têm problemas, Ray Allen será pai, Jason Kidd e Karl Malone lutam contra contusões, Kobe Bryant está sendo julgado por estupro, Shaquille O´Neal e Kevin Garnett receberam convites, mas não deram resposta, e Vince Carter vai se casar.Membro do Comitê, o presidente do New Jersey Nets, Rod Thorn, disse que nunca foi fácil montar a seleção olímpica, "mas este ano está mais complicado que o normal". Nos EUA não há seletiva olímpica no basquete. O Comitê convida quem quer e depois cruza os dedos - o contrato com os atletas não significa contar com eles. O Comitê pretendia ter o time montado em 1º de maio, mas já desistiu da idéia.LeBron James, novato do ano da NBA, e as jovens estrelas Carmelo Anthony e Amare Stoudemire chegaram a ser lembrados, mas logo foram postos de lado pela pouca experiência. Stu Jackson lembra que há grande diferença entre jogar na NBA e na Olimpíada, lição aprendida com o modesto sexto lugar do Mundial de Indianápolis, em 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.