Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Ex-companheiro de Oscar no basquete é encontrado morto

Lalo García foi achado em um rio perto do estádio do Valladolid 

Estadão Conteúdo

31 Março 2015 | 15h38

O ex-jogador espanhol de basquete Lalo García foi encontrado morto nesta terça-feira na cidade de Valladolid. Companheiro de Oscar Schmidt na década de 90, o ex-atleta estava desaparecido desde o último dia 4. A polícia local achou seu corpo no Rio Pisuerga, a cerca de cem metros do ginásio onde fez história com a camisa do Fórum Valladolid.

García havia sido visto pela última vez em uma cafeteria na cidade. De lá para cá, sua busca mobilizou toda a Espanha e a polícia local chegou a torná-la nacional, dizendo que o ex-jogador "poderia estar em Valladolid ou não". Mas nesta terça seu corpo finalmente foi encontrado e reconhecido por seu cunhado, e ex-companheiro no Valladolid, Mike Hansen.

Lalo García era um dos maiores ídolos do basquete da cidade, tendo atuado somente por um clube durante toda a carreira profissional, entre 1988 e 2001. A trajetória marcou tanto a equipe que em 2004 o Valladolid aposentou sua camisa 5. Entre os companheiros que teve, o jogador atuou ao lado do pivô lituano Arvydas Sabonis e do ala brasileiro Oscar Schmidt, entre 1993 e 1995.

García chegou a ser dirigente do Fórum Valladolid e investidor do Fórum Filatélico, patrocinador que dava nome à equipe. Mas em 2006 a polícia espanhola interveio por ordem da Justiça e declarou a empresa culpada de atuar em esquema de pirâmide, fazendo com que cerca de 200 mil pessoas perdessem dinheiro.

Entre elas, o próprio García, que tinha investimentos na empresa e perdeu boa parte do dinheiro arrecadado durante a carreira. Além disso, havia convencido familiares e amigos a investirem no Fórum Filatélico. Por mais que garantisse não saber do esquema, acabou abandonado por eles e entrando em depressão. A polícia, no entanto, ainda não esclareceu se a morte do ex-jogador tem alguma relação com isso.

Mais conteúdo sobre:
basquete Lalo García morte Oscar Schmidt

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.