Marc Serota/Reuters - 26/11/2002
Marc Serota/Reuters - 26/11/2002

Ex-jogador da NBA possui mal de Parkinson

Aos 37 anos, Brian Grant descobre que possui a doença; Muhammad Ali e Michael J. Fox são exemplos

Redação,

19 de maio de 2009 | 16h05

Conhecido pelo seu cabelo rastafári e defesa incansável contra grandes jogadores como Shaquille O'Neal, Karl Malone, Patrick Ewing e Hakeem Olajuwon, Brian Grant, aos 37 anos, descobriu que possui mal de Parkinson.

Veja também:

linkMuhammad Ali faz rara aparição pública para arrecadar fundos

O ex-jogador, que ficou conhecido por suas passagens pelo Portland Trail Blazers, Sacramento Kings e Miami Heat, admitiu que possui a doença nesta semana durante entrevista para o  programa Outside the lines, da ESPN americana. "Eu tenho os primeiros sintomas da doença", admitiu Grant.

Grant se aposentou da NBA há três temporadas atrás e morava na cidade de Miami quando começou a sentir os primeiros sintomas, particularmente um tremor recorrente na mão esquerda. "Meu grande medo é perder o controle sobre o que eu faço e quero fazer. Ter alguém para tomar conta de mim é assustador, mas esse pensamento era mais forte no começo [quando descobriu o que possuía]", disse o ex-jogador da NBA.

Ao saber que possuía mal de Parkinson, Grant entrou em contato com duas celebridades que também passam pelo mesmo problema: o astro do boxe Muhammad Ali e o ator Michael J. Fox, que, inclusive, lidera uma campanha mundial para recolher mais fundos para os centros de pesquisa para descobrir a causa e uma possível solução para a doença.

Brian Grant disse que conversou com familiares do ex-pugilista, enquanto teve contato direto com Michael J. Fox, o que o ajudou muito a encarar a doença e vê-la apenas como um empecilho, mas não uma barreira intransponível para continuar a viver da maneira como deseja.

No começo, no entanto, a situação não era fácil para Grant. Envergonhado com o que acontecia com seu corpo, o ex-jogador evitou aparições públicas e, inclusive, não foi mais aos treinos de seus filhos, que, assim como o pai, jogam basquete. "Meus filhos e os garotos do time realmente não entendiam [os tremores]. Eu, então, pegava a bola e começava a driblar para disfarçar", revelou Grant.

Depois de assimilar a realidade, Grant mudou sua postura e seus costumes. Como estudos sugerem uma relação entre a doença e a alta ingestão de metais e alguns mineirais, o ex-atleta começou a comer apenas comida de origem orgânica. A água utilizada em sua casa é, antes de ser consumida, testada para ver os níveis de arsênico e outra impurezas. Ele também mudou a marca do desodorante, sabonete e pasta de dente. Tudo de acordo com o indicado pelo seu médico, que também o direcionou para um tratamento a base de remédios naturais e medicina oriental. E, de acordo com Grant, as medidas surtiram efeitos e os tremores diminuíram consideravelmente.

Grant também disse que vai se engajar na luta contra o mal de Parkinson, esperando que outros atletas da NBA sigam seu exemplo.

Brian Grant, de 2,06 m e 115 kg, jogou pela NBA por 12 temporadas, sendo escolhido pelo Sacramento Kings no Draft da liga em 1994. Ele anotou 7.933 pontos e pegou 5.622 rebotes em sua carreira.

Confira os times pelos quais Grant jogou:

Sacramento Kings (1994-1997)

Portland Trail Blazers (1997-2000)

Miami Heat (2000-2004)

Los Angeles Lakers (2004-2005) (envolvido na troca que levou Shaquille O'Neal para o Heat, e foi dispensado)

Phoenix Suns (2005-2006)

Boston Celtics (2006) (pediu dispensa e encerrou sua carreira)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.