Yong Teck Lim/AFP
Yong Teck Lim/AFP

Ex-técnico dos Lakers, Luke Walton é acusado de abuso sexual nos Estados Unidos

Abuso teria acontecido em 2016, quando o treinador ainda era assistente técnico no Golden State Warriors

Redação, Estadão Conteúdo

23 de abril de 2019 | 10h34

Demitido do cargo de treinador do Los Angeles Lakers ao final da temporada regular da NBA e contratado pelo Sacramento Kings pouco tempo depois, Luke Walton está sendo acusado de abuso sexual pela repórter esportiva norte-americana Kelli Tennant quando ainda era assistente técnico no Golden State Warriors - ficou em Oakland até 2016.

No relato contido no processo judicial, Walton convidou a jornalista para ir ao seu quarto de hotel em Santa Monica, na Califórnia, para discutir sobre um livro que ela estava escrevendo. Tennant alega que o treinador tentou forçá-la a fazer sexo - teria a jogado na cama e prendido seus braços, impedindo que se levantasse.

Depois, a repórter afirmou que foi beijada à força e que só acabou solta por Walton após gritar por socorro. Tennant ainda ressaltou que fez a denúncia agora por questões profissionais, já que foi obrigada a interagir novamente com o treinador depois que ele foi contratado pelo Los Angeles Lakers em 2016.

Ao ser divulgada na imprensa norte-americana, a notícia rapidamente viralizou e até os Lakers tiveram que emitir um posicionamento oficial sobre o caso. Por meio de um comunicado, a franquia ressaltou jamais ter ciência sobre o caso durante o tempo em que o Walton comandava a equipe.

"O incidente alegado ocorreu antes de Luke Walton ser o treinador principal do Los Angeles Lakers. Em nenhum momento antes ou durante sua passagem aqui esta alegação foi relatada aos Lakers. Se tivesse sido, nós teríamos iniciado imediatamente uma investigação e notificado a NBA. Como Luke Walton está agora sob contrato com outra equipe, não faremos mais posicionamentos", escreveu os Lakers.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.