Tingshu Wang/ Reuters
Tingshu Wang/ Reuters

Executivos da NBA sofrem corte de 20% em salários devido à pandemia

Ainda não há previsão de quando os salários de 100 executivos serão recuperados na íntegra

Redação, Estadao Conteudo

26 de março de 2020 | 23h19

A pandemia do novo coronavírus atingiu em cheio os rendimentos dos dirigentes da NBA. Cerca de 100 executivos da mais lucrativa liga de basquete do mundo sofreram um corte de 20% dos seus ganhos em razão da falta de jogos da competição neste período de quarentena e isolamento social.

Ainda não há previsão de quando os salários serão recuperados na íntegra, assim como não há previsão de quando serão retomados os jogos da temporada 2019-2020. Os cortes nos ganhos já foram efetivados e atingem dirigentes que atuam na sede, em Nova York, e também nos diversos escritórios da NBA pelo mundo.

As informações foram repassadas por uma fonte da liga à agência de notícias Associated Press. A NBA não confirmou publicamente o corte nos salários. Os benefícios de plano de saúde, por exemplo, foram mantidos na íntegra. A queda nos salários não afetará o pessoal da área administrativa e de suporte. Ou seja, apenas aqueles com rendimentos mais elevados.

Com a decisão, a NBA segue o caminho de competições de outras modalidades, como NHL (hóquei no gelo) e Nascar (automobilismo), que já cortaram salários enquanto os eventos esportivos não são retomados.

A NBA foi suspensa no dia 11 de março quando Rudy Gobert, jogador do Utah Jazz, testou positivo para a covid-19. Ele foi o primeiro jogador da liga a contrair o novo vírus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.