Exportação vira problema no basquete

Desde o início da desvalorização do real frente ao dólar, aumenta, a cada temporada, o número de jogadoras brasileiras de basquete no exterior. O Brasil é um novo mercado exportador mundial e o número de atletas na Europa evidencia o fenômeno. Dez das principais jogadoras do País estão na Europa. Em seguida, a maior parte delas rumará para a WNBA, nos Estados Unidos. Mas o prestígio do basquete brasileiro transforma-se em um problema em ano de Mundial. Leia mais no Estadão

Agencia Estado,

03 Março 2002 | 11h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.