Fase final do Basquete começa sexta

Depois da disputada a etapa de classificação, envolvendo 17 times, as quartas-de-final do Campeonato Brasileiro de Basquete Masculino começam na sexta-feira. Dos oito classificados, três são paulistas (Bauru/Tilibra, COC/Ribeirão Preto e Uniara/Fundesport), três cariocas (Flamengo, Vasco e Fluminense) e dois mineiros (Unit/Uberlândia e Universo/Minas). A decepção foi a eliminação precoce do Unimed/Franca, que tem tradição no basquete e ficou apenas na 11ª colocação, com 44 pontos (12 vitórias e 20 derrotas)."O campeonato está, a cada ano, mais equilibrado e com mais equipes disputando as vagas", avaliou o técnico Aluísio Ferreira, o Lula, do COC/Ribeirão, atual campeão paulista. A partir de agora, ele acredita que o fator emocional poderá decidir os classificados. "Quem estiver mais estabilizado levará vantagem."Por ter sido o 4º colocado na primeira fase, o COC tem vantagem de jogar três vezes em casa contra o Flamengo (5º lugar), do experiente ala Oscar, que participa de sua última competição. Lula respeita o veterano jogador, mas avisa: "Seria uma honra eliminar o Flamengo, pois quero participar do último jogo do Oscar, o que será um momento histórico do basquete brasileiro." E acrescenta: "O Brasil vai parar para reverenciá-lo." Lula não quer seus jogadores pensando apenas em marcar Oscar. Eles também devem se preocupar com os demais atletas do Flamengo, como Rato, Janjão, Aílton e Olívia.O primeiro jogo da série melhor-de-cinco será nesta sexta-feira, às 20 horas, no Rio de Janeiro. Na fase anterior, o Flamengo ganhou os dois confrontos. O Minas, que foi o 8º colocado, também ganhou as duas partidas que fez contra o Bauru, seu adversário nas quartas-de-final. Na sexta, as duas equipes começam seu confronto em Belo Horizonte.O Bauru foi o melhor time até agora do campeonato, com 59 pontos (27 vitórias e 5 derrotas), o mesmo número do Vasco, que ficou em 2º lugar porque teve menor saldo de pontos marcados. Assim, o time carioca irá enfrentar o Fluminense a partir de sábado.O outro confronto das quartas-de-final será entre o Unit/Uberlândia e a Uniara, de Araraquara, a partir de sábado. "Atingimos o nosso objetivo, mas, se jogarmos coletivamente, poderemos ir mais longe", disse o técnico João Marcelo Leite, que substitui Tom Zé no comando da equipe paulista. Para ele, toda a responsabilidade é do clube mineiro, que montou um time forte para disputar o título. Já em ritmo de férias, o Franca Basquete pensa no futuro e até o final de maio pretende fechar novo contrato de patrocínio. O clube, que já venceu 11 vezes o Brasileiro, 9 o Paulista, 4 o Sul-americano e três Copa América, precisa de R$ 80 mil mensais. Atualmente, recebe R$ 20 mil da Unimed, R$ 10 mil do sócio-torcedor, R$ 3 mil da Colifran e R$ 2,5 mil da Francal. As despesas chegam a R$ 60 mil. "É o time mais barato e mais jovem do Brasileiro", avaliou o presidente Nelson Elias Salomão.O presidente do time de Franca não esconde a frustração pela eliminação na primeira fase. "Foi uma decepção muito grande", reconheceu Nelson Elias Salomão. "Se não arrumarmos patrocinador, vamos disputar o Paulista com um time juvenil, não com um ?meia-boca?, como foi no Brasileiro", explicou ele. Ou seja: Franca terá equipa competitiva ou juvenil, mas a equipe de basquete da cidade não corre o risco de acabar. "Isso faz parte da educação de Franca."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.