Fiba/ Divulgação
Fiba/ Divulgação

Fiba determina exigências, fornece força-tarefa e mantém CBB suspensa até maio

Segundo a Federação Internacional, entidade brasileira apresenta falhas em diversos aspectos de sua administração

Estadao Conteudo

03 Fevereiro 2017 | 16h02

A Federação Internacional de Basquete (Fiba) anunciou nesta sexta-feira a manutenção da suspensão da confederação brasileira da modalidade, a CBB. Em uma reunião realizada na cidade de Lausanne, na Suíça, a entidade máxima do basquete mundial constatou os mesmos problemas que haviam estimulado a punição e, por isso, a prorrogou pelo menos até maio.

Em novembro do ano passado, a Fiba decidiu suspender a CBB preventivamente, até o dia 28 de janeiro, por entender que a entidade brasileira falhou em diversos aspectos de sua administração. Com isso, a seleção e os clubes do País foram impedidos de disputar competições internacionais.

Encerrada a punição inicial, a Fiba convocou diversos representantes do basquete brasileiro, entre eles integrantes da CBB, da Fiba Americas, do Comitê Olímpico do Brasil (COB), da Liga Nacional de Basquete (LNB) e até da NBA Brasil, para discutir o futuro da modalidade no Brasil. E na reunião desta sexta, a entidade máxima constatou alguns dos mesmos problemas observados no ano passado.

Em nota publicada em seu site oficial, a Fiba colocou à disposição da CBB uma força-tarefa para auxiliar na reorganização do basquete brasileiro. Uma nova avaliação será realizada em maio, durante um congresso da entidade mundial, e poderá definir o fim ou a prorrogação da punição.

"A Fiba deixou à disposição uma força-tarefa com a qual, se os brasileiros desejarem, poderá ajudar a resolver os problemas e a restabelecer a federação brasileira até o congresso da Fiba no início de maio", explicou a entidade. "As discussões foram francas e construtivas, e todos os envolvidos expressaram seus desejos de remediar a situação o mais rápido possível."

Na última terça-feira, o presidente da CBB, Carlos Nunes, marcou para o dia 10 de março a eleição da entidade, na qual não concorrerá. A Fiba não se manifestou sobre o assunto e limitou-se a dizer que "os representantes brasileiros terão uma reunião interna na próxima semana e contatarão a Fiba posteriormente para iniciar o processo".

Entre os presentes na reunião desta sexta, estiveram Carlos Nunes e os candidatos à presidência da CBB, Amarildo Ramos da Rosa e Guy Peixoto, além de Gerasime Bozikis representando a Fiba Americas, Agberto Guimarães, representando o COB, e Arnon de Mello, representando a NBA. O encontro também contou com a participação do presidente da Fiba, Horacio Muratore, e o diretor executivo da entidade, Alberto García.

Mais conteúdo sobre:
FibacbbbasqueteBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.