Fiba diz que CBB perderá garantia de vagas em 2016 se não pagar dívida até julho

As seleções brasileiras masculina e feminina de basquete só terão as tradicionais vagas dadas ao país-sede de uma Olimpíada em 2016, nos Jogos do Rio, se a Confederação Brasileira (CBB) pagar uma dívida que tem com a Federação Internacional de Basquete (Fiba). Foi isso o que decretou a principal entidade da modalidade no mundo nesta segunda-feira, em documento no seu site oficial.

Estadão Conteúdo

22 de junho de 2015 | 11h33

A história é antiga e já vinha sendo especulada nos últimos meses. A relutância da Fiba em garantir as vagas na chave masculina e feminina do basquete no Rio-2016 já havia levantado a suspeita de que o problema seria uma dívida da CBB com a entidade. A confirmação veio nesta segunda, após uma reunião do Comitê Executivo da federação internacional.

A dívida seria de cerca de US$ 2 milhões (RS 6,15 milhões) e referente ao convite dado ao País para a participação no Mundial masculino do ano passado, na Espanha. Na ocasião, o Brasil falhou na tentativa de garantir a classificação na quadra, com uma campanha vexatória na Copa América de 2013, e só pôde disputar o torneio depois de ser convidado pela Fiba.

Só que para garantir essas duas vagas no Rio, a CBB terá que se apressar, já que a Fiba estipulou um prazo para que a dívida seja paga: 31 de julho. Se isso não acontecer, as seleções terão que disputar a classificação nos torneios Pré-Olímpicos das Américas. A edição masculina acontece de 31 de agosto a 12 de setembro no México, enquanto a feminina será no Canadá, entre 9 e 16 de agosto.

"A Fiba recebeu o pedido da CBB sobre o torneio olímpico de basquete no Rio. O Comitê Executivo notou que a CBB tem uma rica história esportiva no basquete, mas que a federação tem dívidas significativas com a Fiba. Um prazo para o dia 31 de julho foi estabelecido para a CBB acertar isso, para garantir vagas automáticas no Rio-2016. O Comitê Executivo expressou que espera que os times da sede estejam na próxima Olimpíada", dizia a nota no site da Fiba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.