Brad Penner e Kevin Jairaj-USA TODAY Sports
Brad Penner e Kevin Jairaj-USA TODAY Sports

Final da NBA entre Boston Celtics e Golden State Warriors opõe discípulos de Gregg Popovich

Ime Udoka e Steve Kerr foram jogadores do treinador no San Antonio Spurs e depois trabalham com ele como auxiliares

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2022 | 10h00

O que Steve Kerr e Ime Udoka têm em comum? Os técnicos de Golden State Warriors e Boston Celtics trazem em seus trabalhos uma influência direta de Gregg Popovich, cinco vezes campeão da NBA e treinador com mais vitórias na história da liga. Rivais na final, que começa nesta quinta-feira, eles foram comandados por Pop no San Antonio Spurs e, mais tarde, puderam absorver mais ensinamentos como treinadores assistentes.

Kerr cruzou o caminho de Popovich em janeiro de 1999. Após conquistar três títulos com o Chicago Bulls de Michael Jordan, quando tinha um papel importante na rotação da equipe, o armador foi trocado por Chuck Person e uma escolha de primeira rodada no draft e chegou aos Spurs. 

O começo foi complicado. Kerr viveu muitos anos sob influência do trabalho de Phil Jackson. Mas logo percebeu que Popovich era obstinado por vitórias, assim como ele. Aos poucos, o treinador percebeu o quanto aquele jogador era acima da média. Ambos celebraram o título de 1999, em uma temporada mais curta, afetada pelo locaute (greve promovida pelos donos das franquias) da NBA.

"Há certos caras em seu time que você sabe que têm uma sensação intuitiva do jogo. Eles também são líderes naturais e boas pessoas. Eles se comunicam bem, têm ótima ética de trabalho e alta inteligência. Ele tinha todas essas coisas", elogiou Popovich, muitas vezes.

Kerr se separou de Popovich quando foi para o Portland Trail Blazers em 2001. Eles se reencontraram no ano seguinte, quando o armador voltou aos Spurs e, pouco depois, se aposentou. Ele ainda trabalhou durante alguns anos como comentarista de TV e foi dirigente no Phoenix Suns até chegar ao Golden State Warriors em 2014. Lá conquistou três títulos da NBA com muito do que aprendeu com o antigo treinador. 

Até hoje, eles alimentam uma forte amizade, sempre acompanhada de um bom vinho. Kerr foi ainda auxiliar de Popovich na seleção dos Estados Unidos na conquista dos Jogos Olímpicos de Tóquio e agora, aos 56 anos, vai assumir como treinador principal do time americano.  

Doze anos mais jovem do que Kerr, Ime Udoka também foi jogador de Popovich nos Spurs. Após superar duas cirurgias no joelho, o ala entrou no elenco com jogador não draftado, em 2007. Ficou por lá até 2009, defendeu o Sacramento Kings e voltou para o San Antonio em 2010. 

A experiência foi ainda mais longa como auxiliar de Popovich. Udoka se tornou membro da comissão técnica em 2012 e foram sete anos de parceria, incluindo o título da temporada 2013-2014, o último do treinador, em uma final contra o Miami Heat. 

"As pessoas enfatizam excessivamente o conhecimento tático. Todos os treinadores conhecem de tática. É basquete. Não é geometria analítica ou algo parecido. Isso não é difícil. Mas entender como tirar o máximo proveito das pessoas, desenvolver relacionamentos com os jogadores, fazê-los querer jogar para você são realmente as chaves. Ele tem tudo isso", elogiou Popovich, em entrevista ao site MassLive.com.

"Com ele, menos é mais, ele não é um falador, ele é um comunicador. Mais do que tudo, ele é genuíno. Você sabe exatamente o que está recebendo. Tenho certeza de que foi isso que Brad Stevens sentiu quando o entrevistou pela primeira vez", acrescentou, citando o ex-treinador e agora general manager do Boston Celtics.

Udoka pode se tornar o quarto treinador nos últimos oito anos a ganhar um campeonato da NBA em sua primeira temporada como técnico principal. Entre eles, está Kerr, campeão com o Golden State Warriors em 2014-2015. Dono de outros dois títulos da liga, o treinador ainda pode fechar um ano especial, já que foi nomeado um dos 15 maiores treinadores da história e pode ser o sexto a vencer quatro ou mais títulos, juntando-se ao seleto grupo que, claro, conta com Gregg Popovich, mentor dos rivais nesta final.

CALENDÁRIO DAS FINAIS

  • 2 de junho (quinta-feira), às 22h - Jogo 1
  • Golden State Warriors x Boston Celtics
  • 5 de junho (domingo), às 21h - Jogo 2
  • Golden State Warriors x Boston Celtics
  • 8 de junho (quarta-feira), às 22h - Jogo 3
  • Boston Celtics x Golden State Warriors
  • 10 de junho (sexta-feira), às 22h - Jogo 4
  • Boston Celtics x Golden State Warriors
  • 13 de junho (segunda-feira), às 22h - Jogo 5 (se necessário)
  • Golden State Warriors x Boston Celtics
  • 16 de junho (quinta-feira), às 22h - Jogo 6 (se necessário)
  • Boston Celtics x Golden State Warriors
  • 19 de junho (domingo), às 21h - Jogo 7 (se necessário)
  • Golden State Warriors x Boston Celtics

ONDE ASSISTIR

Todos os jogos das finais terão transmissão pela Band (TV aberta) e ESPN (fechada), além do Star+ (streaming) e do NBA League Pass.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.