David Zalubowski/AP e Dan Hamilton/USA Today Sports
Golden State Warriors x Toronto Raptors: veja como assistir a decisão da NBA David Zalubowski/AP e Dan Hamilton/USA Today Sports

Finais da NBA: onde assistir e mais informações de Toronto x Golden State

Decisão da liga norte-americana de basquete começa nesta quinta-feira, no Canadá

Daniel Batista, Renan Fernandes, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2019 | 13h32

Toronto Raptors e Golden State Warriors começam a decidir nesta quinta-feira, 30 de maio, o título da temporada 2018/2019 da NBA. As duas primeiras partidas da série melhor de 7 serão realizadas no Canadá, na Scotiabank Arena, depois teremos dois jogos em Oakland, na Oracle Arena. Caso a final não esteja definida, os confrontos passam a ser intercalados - Toronto, Oakland, Toronto.  Será a primeira vez que os Raptors decide o título

Transmissão da final da NBA

Raptors x Warriors terá transmissão da ESPN, na TV fechada, e da Band, na TV aberta. As duas equipes se encontraram duas vezes na temporada regular, com duas vitórias para os canadenses - 29 de novembro e 13 de dezembro. Os resultados, no entanto, não são muito significativos porque ambos elencos eram muito diferentes.

Veja onde assistir e horários da final da NBA

JOGO 1: 30/5 - 22h, em Toronto - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)

JOGO 2: 02/06 -  21h, em Toronto - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)

JOGO 3: 05/06 - 22h, em Oakland - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)

JOGO 4: 07/06 - 22h, em Oakland - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)

JOGO 5: 10/06 - 22h, em Toronto - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)*

JOGO 6: 13/06 - 22h, em Oakland - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)*

JOGO 7: 16/06 - 21h, em Toronto - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)*

*se necessário

O Estado fez uma especial para mostrar as forças de Golden State Warriors e Toronto Raptors. O time canadense aposta alto e desafia a dinastia dos Warriors na final da NBA. No Brasil, a NBA House promete unir os torcedores fanáticos pela liga de basquete mais poderosa do mundo. 

O Raptors chega para a decisão depois de garantir a segunda melhor campanha da temporada regular - com 58 vitórias e 24 derrotas. Nos playoffs, eliminou Orlando Magic (4x1), Philadelphia 76ers (4x3) e Milwaukee Bucks (4x2) para garantir o título da Conferência Leste. O principal jogador da equipe é o ala Kawhi Leonard, que registra médias de 31.2 pontos e 8.8 rebotes nos playoffs.

Já o Warriors chega para sua quinta final consecutiva, com vitórias em 2015, 2017 e 2018. Para conquistar a Conferência Oeste passou por Los Angeles Clippers (4x2), Houston Rockets (4x2) e Portland Portland Trail Blazers. Com Kevin Durant lesionado, Stephen Curry volta a ser grande astro da franquia. Nos playoffs está com 27.3 pontos e 5.6 assistências.   

   

Encontrou algum erro? Entre em contato

Raptors apostam alto e desafiam dinastia dos Warriors na final da NBA

Equipe de Toronto foi para o tudo ou nada na temporada, chegou à decisão pela primeira vez e enfrenta rival que busca quarto título desde 2015

Marcius Azevedo, Renan Fernandes, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2019 | 04h30

“Não há como medir o que DeMar fez por essa organização. Trata-se do maior atleta da história desse time e ninguém pode contestar isso.” As palavras do gerente-geral do Toronto Raptors, Masai Ujiri, mostram o quão impactante foi a decisão de trocar DeMar DeRozan, principal astro da franquia canadense, por Kawhi Leonard antes da temporada 2018/2019 da NBA começar. Após pouco mais de 10 meses, as críticas pela movimentação já não existem e os torcedores vivem um momento de êxtase por estarem em sua primeira final. Do outro lado, o Golden State Warriors chega para a decisão pelo quinto ano consecutivo e terá que superar problemas de lesões na busca do quarto título desde 2015. A série melhor de sete começa nesta quinta-feira, às 22h, no Scotiabank Arena, no Canadá, com transmissão da ESPN e Band. 

Dono da segunda melhor campanha da temporada regular, com 58 vitórias e 24 derrotas, os Raptors terão a vantagem de jogar quatro jogos em casa, se necessário. Sem grandes feitos em sua história, o time fundado em 1995 fez uma aposta arriscada este ano. Enquanto quase todos optaram por projetos futuros, entendendo que não era possível fazer frente à dinastia dos Warriors, Ujiri foi para o tudo ou nada.

Logo após a quinta eliminação seguida nos playoffs, o diretor demitiu o técnico Dwane Casey e, depois disso, fez trocas, abrindo mão de atletas com potencial e de futuras escolhas de draft por veteranos calejados em decisões, como Marc Gasol. 

O resultado das movimentações foi positivo, mas trouxe uma sequela. A saída de DeRozan representou o rompimento de toda a comunidade com um ídolo. Para entender esse momento é necessário ampliar o cenário e fazer um contexto histórico. Os Raptors são o único time da NBA fora dos Estados Unidos. Quem joga lá fica longe da família e dos amigos.

Além disso, o estilo de vida em Toronto é pacato, algo que importa para atletas milionários com 20 e poucos anos e acostumados com os holofotes. Por conta disso, a maioria dos astros escolhidos pela franquia no draft ao longo dos anos cumpre seus contratos obrigatórios e, na primeira oportunidade, vai atuar em outro lugar. 

O único grande atleta que “comprou” a ideia de fazer dos Raptors sua casa foi DeRozan. A ruptura foi dolorosa, mas a opção por Leonard se mostrou acertada. O ala liderou o time até sua primeira final e agora pode conquistar o título, mesmo que ele abandone o time na próxima temporada, já que ficará sem contrato.

DESFALCADO

Apesar de ser amplo favorito, o Golden State Warriors chega para o confronto desfalcado. Melhor jogador das finais em 2017 e 2018, o ala Kevin Durant não se recuperou do estiramento muscular na panturrilha direita e está fora do primeiro jogo. Quem também é dúvida é o pivô DeMarcus Cousins, que sofreu ruptura parcial de músculo da coxa no dia 15 de abril.

"Kevin não vai jogar a primeira partida. Acho que isso já era uma certeza há algum tempo", confirmou o técnico Steve Kerr. A resposta sobre Cousins foi um pouco mais animadora. "A boa notícia é que ele sente-se bem e não tem mais dores no quadríceps. Agora vem trabalhando para recolocar-se em forma e readquirir o ritmo de jogo a tempo de estar conosco."

A dupla, que está na reta final de seus contratos, deve se tornar baixa permanente na equipe na próxima temporada. Muito acima do teto salarial, os Warriors devem focar na renovação de Klay Thompson na agência livre e não seria possível fazer propostas atrativas para os outros astros. Rumores na imprensa dos EUA apontam que Kevin Durant irá defender o New York Knicks na próxima temporada.

Mesmo sem força máxima, a franquia ainda conta com o quarteto Stephen Curry, Klay Thompson, Draymond Green e Andre Iguodala. Esse núcleo foi responsável por iniciar a fase vitoriosa da equipe e espera dar uma despedida grandiosa para a Oracle Arena, sua casa em Oakland. A equipe sediará seus jogos no Chase Center, em San Francisco, a partir da próxima temporada.

CALENDÁRIO:

JOGO 1: 30/5 - 22h, em Toronto - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)

JOGO 2: 02/06 -  21h, em Toronto - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)

JOGO 3: 05/06 - 22h, em Oakland - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)

JOGO 4: 07/06 - 22h, em Oakland - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)

JOGO 5: 10/06 - 22h, em Toronto - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)*

JOGO 6: 13/06 - 22h, em Oakland - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)*

JOGO 7: 16/06 - 21h, em Toronto - ESPN (TV fechada) e Band (TV aberta)*

*se necessário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Liga quer colocar 'NBA House' no calendário da cidade de São Paulo

Local vai funcionar no estacionamento do Shopping Eldorado, em uma área de 3.000 m² até o dia 16 de junho

Marcius Azevedo, Renan Fernandes, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2019 | 04h30

Após o sucesso do espaço NBA Finals, em 2017 e 2018, em São Paulo, a NBA dá mais um passo para ampliar seu faturamento no mercado brasileiro – são mais de R$ 100 milhões anuais, o segundo maior fora dos EUA, atrás apenas da China. A NBA House será aberta nesta quinta-feira, no estacionamento do Shopping Eldorado, em uma área de 3.000 m², e espera receber mais de 25 mil visitantes até o dia 16 de junho.

A casa é similar àquela montada no Rio de Janeiro, em 2016, por ocasião dos Jogos Olímpicos. Serão mais de 20 atrações, com eventos aos finais de semana e exibição dos jogos da decisão. Os ingressos são vendidos site www.nbahouse.com.br por R$ 25 (Fan Day) e R$ 75 (Game Night), sendo que os bilhetes para os jogos 2 e 4, dias 2 e 7 de junho, respectivamente, já estão esgotados.

Na casa, os visitantes vão respirar a NBA de diversas maneiras. Aos finais de semana, nos chamados Fan Days, o público vai poder se divertir com as mais de 20 atrações, com destaque para a quadra digital que vai levar os fãs para “dentro” da quadra. Ainda poderão conhecer um vestiário da NBA, brincar em games de basquete, além de ver de perto uma exposição de peças históricas da liga.

O Troféu Larry O’Brien, que é entregue ao campeão, também estará em exposição à espera de selfies e cliques. No Kids Club, atividades e brincadeiras como piscina de bolas, oficina de Slime, pintura, minitabelas e muito mais. Tudo isso com muita música, entretenimento e distribuição de brindes oficiais. No Game Night, o público poderá acompanhar a exibição das partidas da série melhor de sete num telão gigante, de 32m². 

Os fãs também terão a oportunidade de encontrar as mascotes do Atlanta Hawks, “Harry, The Hawk”, e do New Orleans Pelicans, o “Pierre, The Pelican”, além dançarinas de Los Angeles Lakers (Laker Girls) e Chicago Bulls (Luvabulls), e os times de enterradas de Atlanta Hawks (Sky Squad) e Chicago (The Elevators).

TRÊS PERGUNTAS PARA...

Rodrigo Vicentini, Head da NBA no Brasil

1. Como avalia o atual momento da NBA no Brasil? 

O Brasil é o segundo mercado mais importante do mundo para a NBA, atrás apenas da China. Nosso negócio está crescendo em linhas verticais no País, o que mostra que estamos no caminho certo. Há muitas oportunidades e espaço para explorarmos e crescermos. A NBA é uma love brand, uma marca que se conecta muito bem com os brasileiros dentro e fora de quadra, pela música, pelo lifestyle, por seus valores.

 

2. Qual sua expectativa para a NBA House? 

A melhor possível, que a NBA House seja um sucesso e possa ficar marcada no calendário de São Paulo. O público vai poder mergulhar no universo da NBA. É uma casa para fãs de todas as idades, um espaço temático que foi pensado nos mínimos detalhes e o objetivo é surpreender.

 

3. Qual o peso da volta da NBA à TV aberta?

Estamos muito felizes. A Band foi a emissora que recebeu a liga, apresentou a NBA para os brasileiros na década de 80 e marcou toda uma geração. É mais um meio de comunicação importante, vai ajudar muito na distribuição do nosso conteúdo, além do que já temos na TV a cabo, no NBA League Pass e nas redes sociais. Estamos ampliando a distribuição em território nacional e abraçando ainda mais os fãs brasileiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Antetokounmpo e Harden são eleitos por unanimidade para o 'primeiro time' da NBA

Todos os 100 votantes escolhem ala e armador, que disputam o prêmio de MVP; George, Curry e Jokic integram time titular

Redação, Estadão Conteúdo

23 de maio de 2019 | 17h10

Os alas Giannis Antetokounmpo, do Milwaukee Bucks, e James Harden, do Houston Rockets, foram selecionados por unanimidade para o "primeiro time" da temporada 2018/2019 da NBA. Os dois jogadores receberam os votos das 100 cédulas para terminar com 500 pontos cada.

Esta é a quinta vez, a terceira consecutiva, que Harden integra o time principal da liga mais importante do basquete dos Estados Unidos. No campeonato passado, foi eleito o MVP; Para o grego Antetokounmpo, duas vezes membro do segundo time, trata-se da primeira indicação. O jogador do Bucks é o grande favorito a levar o prêmio de MVP da atual temporada.

O time dos melhores jogadores da temporada também conta com o armador Stephen Curry (482 pontos; 91 votos), do Golden State Warriors; o ala Paul George (433 pontos; 71 votos), do Oklahoma City Thunder; e o pivô sérvio Nikola Jokic (411 pontos; 59 votos), do Denver Nuggets.

O segundo time contou com Joel Embiid (Philadelphia 76ers), junto com Damian Lillard (Portland Trail Blazers), Kevin Durant (Golden State Warriors), Kawhi Leonard (Toronto Raptors) e Kyrie Irving (Boston Celtics).

O astro LeBron James, do Los Angeles Lakers foi indicado pela 15ª vez seguida, desta vez para o terceiro time, que ainda conta com Kemba Walker (Charlotte Hornets), Russell Westbrook (Oklahoma City Thunder), Blake Griffin (Detroit Pistons) e Rudy Gobert (Utah Jazz).

Encontrou algum erro? Entre em contato

James Harden, Antetokounmpo e Paul George concorrem ao prêmio de MVP da NBA

Armador, ala-pivô e ala se destacaram por Houston Rockets, Milwaukee Bucks e Oklahoma City Thunder, respectivamente

Redação, Estadão Conteúdo

18 de maio de 2019 | 10h14

A NBA divulgou na noite de sexta-feira os candidatos ao prêmio de MVP (melhor jogador) da temporada 2018/2019. Como esperado, o ala-pivô grego Giannis Antetokounmpo, do Milwaukee Bucks, e o armador James Harden, do Houston Rockets, vencedor no ano passado, estão na lista. A eles se junta o ala Paul George, do Oklahoma City Thunder.

A liga norte-americana de basquete divulgou também os candidatos das outras cinco categorias. O anúncio dos vencedores será feito em uma noite de gala marcada para o dia 24 de junho, em Los Angeles. Para esses prêmios são levados em conta apenas os jogos da temporada regular, encerrada no dia 10 de abril. Nos playoffs há uma premiação especifica entregue ao destaque da final.

James Harden terá nesta temporada a concorrência de dois estreantes na indicação do atual formato. Desde 2017, a NBA tem usado o modelo com finalistas e divulgação dos vencedores somente ao final dos playoffs.

Além de concorrerem ao MVP, Giannis Antetokounmpo e Paul George também estão entre os finalistas ao prêmio de melhor defensor da temporada. O outro candidato é o atual vencedor: Rudy Gobert, pivô do Utah Jazz.

Confira todos os indicados aos prêmios da NBA:

MVP

Giannis Antetokounmpo (Milwaukee Bucks)

Paul George (Oklahoma City Thunder)

James Harden (Houston Rockets)

 

CALOURO DO ANO

Deandre Ayton (Phoenix Suns)

Luka Doncic (Dallas Mavericks)

Trae Young (Atlanta Hawks)

 

JOGADOR QUE MAIS EVOLUIU

De'Aaron Fox (Sacramento Kings)

D'Angelo Russell (Brooklyn Nets)

Pascal Siakam (Toronto Raptors)

 

MELHOR SEXTO HOMEM

Montrezl Harrell (Los Angeles Clippers)

Domantas Sabonis (Indiana Pacers)

Lou Williams (Los Angeles Clippers)

 

MELHOR JOGADOR DE DEFESA

Giannis Antetokounmpo (Milwaukee Bucks)

Paul George (Oklahoma City Thunder)

Rudy Gobert (Utah Jazz)

 

TÉCNICO DO ANO

Mike Budenholzer (Milwaukee Bucks)

Mike Malone (Denver Nuggets)

Doc Rivers (Los Angeles Clippers)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.