Futebol inspira basquete de Ribeirão

Assim como o Botafogo, que chegou à decisão do Campeonato Paulista de Futebol com um time modesto, o jovem time do COC/Ribeirão Preto garantiu vaga na decisão do Brasileiro de Basquete Masculino, aumentando a festa na cidade do interior de São Paulo. Depois de eliminar o Botafogo carioca, a equipe de Ribeirão inicia o playoff final na sexta-feira, contra o Vasco, no ginásio da Cava do Bosque.Repetindo a fórmula que fez sucesso no futebol da cidade, o COC apostou na juventude e obteve resultado. A equipe de basquete de Ribeirão tem média de idade de 23 anos e o grupo está junto há pelo menos um ano, desde a chegada do técnico Aluísio Ferreira, o Lula. "O time tem uma somatória de fatores. Qualidade, apesar de jovem, conjunto, sem centralização de jogadas num só atleta, e uma infra-estrutura qualificada, com bons locais para treinos e uma comissão técnica competente", explicou o treinador. Na semifinal, o COC eliminou o Botafogo no quinto e decisivo jogo, segunda-feira, com a vitória por 97 a 81, no Rio. Com isso, o time de Ribeirão irá disputar a final do Campeonato Nacional pela segunda vez em sua história. Na outra oportunidade, em 98, perdeu o título para o Marathon/Franca.Na decisão de 98, o time tinha várias estrelas, como Josuel e Jefty, mas não pôde jogar em Ribeirão Preto contra o Franca, pois o ginásio da Cava do Bosque não comportava 5 mil pessoas e o regulamento exigia essa capacidade mínima. "Dessa vez, discutimos as regras e a Cava pode receber 3 mil torcedores", afirmou Lula. "Para igualar o confronto com o Vasco, precisamos da torcida ao nosso lado", pediu o treinador.Como no futebol, o time de Ribeirão começou o campeonato desacreditado. "Só é campeão quem pensa em sê-lo. No início, ninguém citava-nos entre os oito primeiros", lembrou Lula, que não esconde o jogo e conta o segredo do sucesso de sua equipe. "A estrela é o time, já que todos dividem as funções e não tem só um cestinha. Nosso sonho é ser campeão e vamos atrás disso", revelou.O time titular de Ribeirão é formado por Júnior, Alex, Renato, Juliano e Fabião. Do outro lado está o Vasco, que luta pelo bicampeonato e conta várias estrelas da seleção brasileira, a começar pelo técnico, Hélio Rubens Garcia. A base da equipe carioca é formada por Helinho, Rogério, Demétrius, Sandro Varejão e Janjão. "O Vasco é poderosíssimo", avaliou Lula. Nos confrontos entre os dois finalistas durante a fase de classificação do campeonato, cada time venceu uma, quando jogou em casa. Na série melhor-de-cinco partidas, o Vasco leva vantagem de jogar, se necessário, três vezes no Rio.

Agencia Estado,

12 de junho de 2001 | 14h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.